Cidade

Mais de 70 crianças em situação de risco já foram acolhidas no Carnaval

Mais de 600 abordagens de crianças e adolescentes em trabalho infantil foram realizadas ate sexta-feira (05), pela Secretaria de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), durante o carnaval. Foram 296 no Circuito Osmar (Centro) e 330 no Dodô (Barra-Ondina) [Leia mais...]

[Mais de 70 crianças em situação de risco já foram acolhidas no Carnaval]
Foto : Reprodução/Acorda Cidade

Por Alaine Brasil no dia 06 de Fevereiro de 2016 ⋅ 19:35

Mais de 600 abordagens de crianças e adolescentes em trabalho infantil foram realizadas ate sexta-feira (05), pela Secretaria de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), durante o carnaval. Foram 296 no Circuito Osmar (Centro) e 330 no Dodô (Barra-Ondina). De acordo com o órgão, foram efetuados 161 cadastramentos neste período, sendo 64 do sexo feminino e 97 masculino. Os menores encontrados em situação de risco social na folia estão sendo acolhidos pela Semps nos quatro postos (Centro de Capacitação Wilson Lins, Colégio Estadual Senhor do Bonfim, Creche Calabar e Colégio Estadual Teixeira de Freitas), montados nos circuitos da festa. Até a última sexta-feira (05), receberam 72 crianças e adolescentes até 17 anos em situação de vulnerabilidade. As estruturas são temporárias e funcionarão até a Quarta-feira de Cinzas (10). O Órgão trabalha com uma equipe formada por assistentes sociais, psicólogos, pedagogos, educadores sociais e pessoal de apoio, mantendo plantões durante todo o Carnaval para fazer cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), inibindo o trabalho infantil e a violência contra crianças e adolescentes. Os postos dos Conselhos Tutelares registraram, neste período, 140 ocorrências envolvendo menores, sendo 11 agressões e 14 casos de trabalho infantil.

Notícias relacionadas