Cidade

Com o petróleo em baixa, preço de gasolina aumenta em Salvador e chega a R$ 3,99

O motorista que resolveu abastecer o veículo com gasolina, no começo desta semana, em Salvador, foi surpreendido. Hoje é preciso desembolsar cerca de R$ 200,00 para completar o tanque de um carro de passeio, por exemplo. Nessa segunda-feira (15), alguns postos da cidade chegaram a registrar na tabela o valor de R$ 3,99 pelo litro do combustível. [Leia mais...]

[Com o petróleo em baixa, preço de gasolina aumenta em Salvador e chega a R$ 3,99]
Foto : Luan Fôlha / Leitor Metro1

Por Camila Tíssia no dia 16 de Fevereiro de 2016 ⋅ 11:24

O motorista que resolveu abastecer o veículo com gasolina, no começo desta semana, em Salvador, foi surpreendido. Hoje é preciso desembolsar cerca de R$ 200,00 para completar o tanque de um carro de passeio, por exemplo. Nessa segunda-feira (15), alguns postos da cidade chegaram a registrar na tabela o valor de R$ 3,99 pelo litro do combustível.

Uma ouvinte da Rádio Metrópole, que preferiu não se identificar, disse que ficou assustada ao abastecer o carro no final da tarde de ontem, no Mega Posto Berimbau - BR, localizado na Avenida Anita Garibaldi, após um Centro Médico da região. A diferença chega a ser de 0,50 centavos para o que ela estava acostumada a pagar. "Há poucos dias passei por aqui e a gasolina estava a R$ 3,49. Aonde vamos parar?", questionou a moça. 

De acordo com a assessoria do Sindicombustíveis da Bahia, não existe um aumento formal no preço. A questão é que o mercado passa por um momento inconstante, o que resulta na oscilação dos valores em cada posto. O Metro1 ainda não conseguiu mais detalhes com o presidente do sindicato, José Augusto Costa, nem confirmar se outras cidades no estado sofreram também com esse aumento.

O valor da gasolina não cai no Brasil mesmo com as notícias sobre a queda no preço do petróleo. No site do Sindicombustíveis, a categoria afirma que, a crise, desde outubro de 2014, é mais severa no país. Altamente endividada e com pouco dinheiro para investir, a "nova Petrobras", ainda enfrenta o descrédito do mercado financeiro e de parceiros desde que a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, revelou a existência de um esquema de corrupção envolvendo a empresa e fornecedores.

"Para conseguir retomar o crescimento, a Petrobras decidiu encolher de tamanho e abandonar várias áreas de negócio. Na semana passada mesmo, a empresa deu os primeiros passos para sua retirada do setor elétrico e colocou à venda 21 usinas térmicas e gasodutos por onde circula o gás que as abastece. O foco, agora, é a produção de petróleo, principalmente nas áreas do pré-sal - embora, ao mesmo tempo, haja uma movimentação do governo no sentido de permitir maior flexibilização na operação dessas áreas", diz o sindicato.

Notícias relacionadas