Cidade

Após 19 dias acampados, grupo deixa terreno invadido no Bosque Imperial

Policiais Militares da 50ª Companhia Independente - Sete de Abril auxiliam, desde as primeiras horas desta sexta-feira (19), no cumprimento de uma reintegração de posse em uma área invadida por 10 famílias do Movimento Sem Teto da Bahia (MSTB). A área fica no bairro de São Marcos, próxima ao condomínio Bosque Imperial e foi tomada pelos invasores no dia 1º de fevereiro. [Leia mais...]

[Após 19 dias acampados, grupo deixa terreno invadido no Bosque Imperial ]
Foto : Gabriel Nascimento/Metropress

Por Camila Tíssia no dia 19 de Fevereiro de 2016 ⋅ 08:02

Policiais Militares da 50ª Companhia Independente - Sete de Abril auxiliam, desde as primeiras horas desta sexta-feira (19), no cumprimento de uma reintegração de posse em uma área invadida por 10 famílias do Movimento Sem Teto da Bahia (MSTB). A área fica no bairro de São Marcos, próxima ao condomínio Bosque Imperial e foi tomada pelos invasores no dia 1º de fevereiro.

Em entrevista ao Metro1, um dos coordenadores do MSTB, Edinho Oliveira, diz que a ação acontece de forma pacífica e que esse processo foi um processo de longa negociação com o Governo do Estado. 

"Se fosse na lógica que a prefeitura queria a gente ia sair hoje pela violência policial e a gente hoje está saindo por conta dessa negociação. Não é uma coisa espontânea, não sairia daqui de forma espontânea de jeito nenhum, estamos saindo por conta da reitegração de posse e sentamos na mesa do governador para negociar de forma pacífica. Repudianmos qualquer concepção que diz que não estávamos negociando.  Quem diz isso é porque acredita no antigo modelo de poder negociar saída pacífica em conflito social. Estamos aqui com ordem para buscar outro local só para gente", afirmou.

No local, barracos e lonas foram espalhados para abrigar as pessoas que passaram a viver na área. A chegada do grupo deu início a conflitos constantes com os moradores, que pediam a reintegração de posse imediata do terreno e chegaram bloquear a via que liga a Avenida São Rafael ao bairro de Sussuarana três vezes, em protesto.

A área foi isolada e o espaço deve ser desocupado até o final da manhã. João Andrade, morador da região desde 2001, afirmou ao Metro1, que o processo iniciou por volta das 6h e que fica aliviado com a situação. "Graças a Deus chegamos a um final feliz sem nenhum problema e sem nenhum conflito. A polícia do Estado fez a parte dela, assim como os bombeiros dando apoio necessário", falou.

Confira galeria de fotos:

Notícias relacionadas