Cidade

Gerente ainda não sabe causa de incêndio e Cantina Volpi é vistoriada

Segundo a o Corpo de Bombeiros, mesmo com quatro viaturas da equipe e auxílio de carros-pipa da Embasa, estava difícil de controlar o fogo, que foi totalmente debelado por volta das 21h30. Antes disso, as equipes da polícia e agentes de trânsito permaneciam no local, e a rua onde fica o estabelecimento estava interditada. A operação durou cerca de cinco horas. [Leia mais...]

[Gerente ainda não sabe causa de incêndio e Cantina Volpi é vistoriada]
Foto : Leonardo Rezende / Metropress

Por Camila Tíssia no dia 27 de Fevereiro de 2016 ⋅ 14:03

Um dia após o restaurante Cantina Volpi, localizado na Rua do Canal, na Pituba, ter sido tomado por chamas, o gerente dessa unidade, Daniel Raimundo, ainda não sabe o que provocou o incêndio. Ao Metro1, Daniel afirmou que, na manhã deste sábado (27), a Polícia Técnica esteve no local para fazer a vistoria e só depois que eles divulgarem um laudo será possível identificar a causa. 

"Estamos apurando ainda. Vou ficar aguardando a polícia fazer a análise. Ontem eles não conseguiram porque estava escuro. Estou aqui no aguardo e por enquanto resolvendo a questão do seguro, mas ainda não tenho nada de concreto para falar", disse o gerente.

Questionado sobre os prejuízos para o estabelecimento, Daniel falou que ainda não foi mensurado e que tem uma reunião marcada com todos os funcionários, para a próxima segunda-feira (29), quando serão conversados todos os detalhes sobre o incidente.

Segundo a o Corpo de Bombeiros, mesmo com quatro viaturas da equipe e auxílio de carros-pipa da Embasa, estava difícil de controlar o fogo, que foi totalmente debelado por volta das 21h30. Antes disso, as equipes da polícia e agentes de trânsito permaneciam no local, e a rua onde fica o estabelecimento estava interditada. A operação durou cerca de cinco horas.

Notícias relacionadas

[Após chuvas, Codesal registra 90 ocorrências em Salvador ]
Cidade

Após chuvas, Codesal registra 90 ocorrências em Salvador 

Por Alexandre Galvão no dia 25 de Março de 2019 ⋅ 10:01 em Cidade

De acordo com o órgão, a maior demanda aconteceu por conta de deslizamento de terras. Foram seis chamados em Brotas, quatro em Pau da Lima e também quatro em Valéria