Cidade

Caso Guilherme Yokoshiro: instituto crê em falha na rede de proteção

Na manhã desta sexta (11), em palestra no l Congresso Baiano de Defesa do Consumidor, o Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), coordenador da Rede Consumo Seguro e Saúde - Bahia, tornou pública a tese que afirma que o acidente que vitimou o garoto Guilherme Yokoshiro pode ter sido provocado por falha ou desgaste na rede de proteção instalada na janela do apartamento no bairro de Brotas.[Leia mais...]

[Caso Guilherme Yokoshiro: instituto crê em falha na rede de proteção]
Foto : Reprodução/TV Aratu

Por Matheus Simoni no dia 11 de Março de 2016 ⋅ 16:49

Na manhã desta sexta (11), em palestra no l Congresso Baiano de Defesa do Consumidor, o Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), coordenador da Rede Consumo Seguro e Saúde - Bahia, tornou pública a tese que afirma que o acidente que vitimou o garoto Guilherme Yokoshiro pode ter sido provocado por falha ou desgaste na rede de proteção instalada na janela do apartamento no bairro de Brotas.

Guilherme tinha cinco anos e morreu na madrugada do dia 24 de novembro, por volta das 3h30, após cair de uma janela do 6º andar do Edifício Morena Rosa, localizado na Rua Ariston Bertino de Carvalho. Para o diretor geral do Ibametro, Randerson Leal, o caso possui indícios fortes de que o produto não suportou o peso de Guilherme, que teria se projetado na rede.

"Estamos aguardando a conclusão das investigações e o resultado do laudo pericial, mas logo após o ocorrido imediatamente realizamos vistoria no mercado de redes de proteção, onde encontramos fragilidades no aspecto segurança. Em reunião com 19 órgãos públicos que formam a Rede Consumo Seguro, decidimos já encaminhar ofício ao Inmetro para que esse produto passe por testes e seja obrigatório ter o selo do Inmetro", afirmou Randerson. O pai do garoto, Rafael Yokoshiro, vai ser indiciado por abandono de incapaz. O inquérito policial ainda não está pronto.

Notícias relacionadas