Cidade

Após greve, professores da rede municipal de Salvador retomam atividades

Os professores municipais decretaram greve no dia 2 de março deste ano. A principal reivindicação da categoria era a reserva de jornada para atividades extra classe. Os profissionais exigiam que um terço da jornada integral do professor, que pode ser de 20h ou 40h semanais, fosse reservado para os trabalhos fora das salas de aula. [Leia mais...]

[Após greve, professores da rede municipal de Salvador retomam atividades ]
Foto : Reprodução / Max Haack/Ag Haack

Por Milene Rios no dia 21 de Março de 2016 ⋅ 09:06

Depois de quase 20 dias em greve, professores da rede municipal de Salvador retornaram às atividades na manhã desta segunda-feira (21). A decisão pelo fim da paralisação foi feita em assembleia na última sexta-feira (18). Segundo a diretora municipal do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Marilene Betros, a categoria volta às aulas, no entanto, irá manter estado de mobilização para garantir o cumprimento das reivindicações.

“Entendemos que houve avanços na negociação, foram contratados novos professores que vão garantir a reserva [de jornada para atividades extra classe] e, acima de tudo, existe a questão do respeito ao aluno, que não poderia ficar mais tempo sem assistir aulas. Mas,  mobilização está mantida. É uma forma de garantir que todas as escolas sejam contempladas”, finalizou. 

Os professores municipais decretaram greve no dia 2 de março deste ano. A principal reivindicação da categoria era a reserva de jornada para atividades extra classe. Os profissionais exigiam que um terço da jornada integral do professor, que pode ser de 20h ou 40h semanais, fosse reservado para os trabalhos fora das salas de aula.

 

Notícias relacionadas

[Após chuvas, Codesal registra 90 ocorrências em Salvador ]
Cidade

Após chuvas, Codesal registra 90 ocorrências em Salvador 

Por Alexandre Galvão no dia 25 de Março de 2019 ⋅ 10:01 em Cidade

De acordo com o órgão, a maior demanda aconteceu por conta de deslizamento de terras. Foram seis chamados em Brotas, quatro em Pau da Lima e também quatro em Valéria