Cidade

Após cobrança de shopping, mercado exige consumo mínimo para estacionamento

Após cobrança em estacionamentos dos shoppings centers de Salvador, estabelecimentos comerciais estão começando a adotar práticas semelhantes. [Leia mais...]

[Após cobrança de shopping, mercado exige consumo mínimo para estacionamento]
Foto : Google Street View / Reprodução

Por Gabriel Nascimento no dia 30 de Junho de 2015 ⋅ 10:31

Após cobrança em estacionamentos dos shoppings centers de Salvador, estabelecimentos comerciais estão começando a adotar práticas semelhantes, segundo reportagem do A Tarde. Devido a alta procura, a gerência do Hiper Bompreço da Av. ACM, por exemplo, passou a solicitar cupons fiscais de quem utiliza uma das 1.250 vagas.


Logo na entrada do estacionamento do supermercado, o motorista é informado de que precisa consumir para ter direito à vaga. De acordo com funcionários da empresa Salvador Parking, que operam no local desde segunda-feira (29), existe tolerância de apenas 30 minutos. Passado este prazo, é necessário realizar compras de, no mínimo, R$ 40 para permanecer na vaga por até uma hora, e acima de R$ 40 para ocupar de uma até três horas. Os motoristas estariam, inclusive, sendo alertados para o risco de reboque do veículo caso ultrapassassem o limite de três horas. A mesma postura é adotada no  Bompreço do Salvador Norte Shopping, em São Cristóvão.


Em nota, o Bompreço negou que esteja rebocando veículos ou orientando em relação ao reboque. A empresa disse também que a medida de avisar sobre a exigência de consumo visa facilitar o acesso dos clientes às vagas disponíveis uma vez que coíbe o uso indevido do estacionamento. A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) afirmou por meio de assessoria que não possui parceria com o estabelecimento para a remoção de veículos.

Conforme o diretor de fiscalização da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon), Iratan Vilas Boas, "Não importa se a cobrança é feita direta ou indiretamente, é preciso ter licença. Se soubermos que os clientes estão sendo cobrados, fiscalizaremos o local". Ele ressaltou que o reboque de veículos não é autorizado porque o Hiper Bompreço não tem competência para isso.

Notícias relacionadas