Cidade

Pondé opina sobre o que é ser rico, politicamente correto e com virtudes

"Jesus dizia que era mais fácil um camelo passar pelo buraco da agulha do que o rico entrar no reino dos céus. Ele é um cara famoso, talvez tenha razão. Um fenômeno que eu mais vejo em alunos ricos é que querem fazer documentário com pobre o tempo inteiro", [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Luiza Leão e Matheus Simoni no dia 11 de Agosto de 2016 ⋅ 19:31

O escritor, professor, filósofo e comentarista da Rádio Metrópole Luiz Felipe Pondé foi o entrevistado desta quinta-feira (11), no programa Entre Páginas Especial, realizado no Teatro Eva Herz. O escritor lança seu livro “Filosofia para Corajosos – Pense com a própria cabeça”. Ao lado de Mário Kertész e Malu Fontes, opinou sobre o questionamento formulado pela plateia e sintetizado por Malu Fontes sobre o que é  "ser rico politicamente correto com virtudes".

"Jesus dizia que era mais fácil um camelo passar pelo buraco da agulha do que o rico entrar no reino dos céus. Ele é um cara famoso, talvez tenha razão. Um fenômeno que eu mais vejo em alunos ricos é que querem fazer documentário com pobre o tempo inteiro. Eu pergunto se eles queriam ter nascido pobres. Mas eu não acho que uma pessoa rica não possa ter virtudes.  Acho que é possível existir ricos que sejam generosos, que de fato queiram fazer alguma coisa por quem tem menos dinheiro, mas o enriquecimento material do mundo tem uma tendência a deixar a gente meio ressentido e mimado. O que eu acho como sendo o pior embate moral que alguém pode ter na vida é quando ela tem que escolher entre dois bens. É briga de cachorro grande", declarou. 

Notícias relacionadas