Cidade

Transalvador faz intervenções em Pernambués antes de avaliar impactos

Não é novidade que o trânsito de Pernambués e do Cabula é ruim. Mas o que já não era bom conseguiu ficar ainda pior ao longo desta semana. O motivo da piora na mobilidade é uma nova sinaleira instalada pela Transalvador [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 19 de Agosto de 2016 ⋅ 12:16

Não é novidade que o trânsito de Pernambués e do Cabula é ruim. Mas o que já não era bom conseguiu ficar ainda pior ao longo desta semana. O motivo da piora na mobilidade é uma nova sinaleira instalada pela Transalvador. De acordo com o superintendente de Trânsito da cidade, Fabrizzio Muller, o equipamento começou a funcionar no último sábado e, acredite, está em fase de testes. “É objeto de um TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] firmado entre o [condomínio] Horto Bela Vista e o Ministério Público. Os semáforos não estão sincronizados com os anteriores porque são por botoeira”, afirma, explicando que o pedestre aciona o equipamento através de um botão.  E o pior é que esse não é o primeiro prejuízo causado pela Transalvador ao trânsito da região...

Segundo Fabrizzio, os testes no novo semáforo devem ser finalizados nesta semana. “Nossa equipe está no local avaliando a operação. Caso seja necessária a intervenção de mudança de tempo ou desligamento provisório, será feita”, disse. Mas esse não é o único problema causado pelas intervenções da Transalvador. 
Em junho, a Metrópole mostrou que um trevo na subida do Cabula, que deveria melhorar o fluxo de veículos, virou alvo de reclamações de motoristas e moradores por conta do impacto no trânsito. 

Primeiro instala sinaleira, depois analisa impactos
Porém, apesar de tudo ter sido acertado na época da construção do empreendimento Horto Bela Vista — e cumprido adequadamente pela construtora JHSF —, parece que só agora, depois que a sinaleira já foi instalada, é que a Transalvador começou a estudar os impactos no trânsito.  
“Nossa equipe está fazendo avaliações. Tinha que ser implantado por ser objeto de um TAC, mas estamos fazendo umas avaliações para verificar melhores tempos semafóricos e a melhor utilização do equipamento, para que não cause nenhum tipo de transtorno para a região”, argumentou Muller.

JHSF explica
Questionada sobre como foi o diálogo com a Prefeitura de Salvador na hora de estabelecer as ações previstas no TAC, a construtora JHSF, responsável pelo Horto Bela Vista, explicou que somente realizou as intervenções solicitadas pela Transalvador. “A JHSF informa que apenas executou a obra, de acordo com projeto apresentado e validado pelos órgãos competentes”, disse. 

Notícias relacionadas