Cidade

Paciente tem acompanhamento familiar vetado por hospital; coordenador nega

Um jovem de 20 anos chegou ao Hospital do Subúrbio, localizado na Estrada Velha de Periperi, em Salvador, por volta das 18h do último domingo (4) para receber atendimentos médicos após ter sofrido um atropelamento. Durante o tempo em que aguardava no corredor para ser atendido, enfermeiras e médicos impediram que o paciente fosse acompanhado por sua mãe, por ser esse "o procedimento padrão" do centro de Saúde. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Leitor Metro1

Por Luiza Leão no dia 07 de Setembro de 2016 ⋅ 14:07

Um jovem de 20 anos chegou ao Hospital do Subúrbio, localizado na Estrada Velha de Periperi, em Salvador, por volta das 18h do último domingo (4) para receber atendimentos médicos após ter sofrido um acidente de moto. Durante o tempo em que aguardava no corredor para ser atendido, enfermeiras e médicos impediram que o paciente fosse acompanhado por sua mãe, por ser esse "o procedimento padrão" do centro de Saúde.

Procurada pelo Metro1 para esclarecimentos sobre esse "procedimento padrão", a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) passou a bola para a assessoria do Hospital do Subúrbio. Em contato com o coordenador da emergência do hospital, Jamil Rocha negou as denúncias.

“O corredor que a denúncia se refere deve ser o local em que o paciente aguarda para adentrar na sala vermelha. O paciente que é vítima de atropelo é considerado como politrauma e precisa ser encaminhado para essa sala vermelha, exclusiva para médicos e pessoas com uma gravidade maior. É rotina. A presença do familiar atrapalha”, esclareceu o coordenador da emergência do Hospital do Subúrbio.

Ainda segundo Jamil, nesse corredor não fica pacientes. Ele serve apenas para remanejar os menos graves para outras salas, permitindo que as pessoas em situação mais urgente adentrem a sala vermelha.

Notícias relacionadas