Cidade

Conder inicia diagnóstico arqueológico na Rua Chile

Uma nova etapa do programa de diagnóstico e prospecção arqueológica da Rua Chile será iniciada nesta semana pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Conder

Por Luiza Leão no dia 15 de Setembro de 2016 ⋅ 19:37

Uma nova etapa do programa de diagnóstico e prospecção arqueológica da Rua Chile será iniciada nesta semana pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder). Foram investidos R$ 124 milhões no projeto "Pelas Ruas do Centro Antigo de Salvador", do Governo do Estado, que deve melhorar a infraestrutura por mais de 200 ruas de 11 bairros da região.

A nova estrutura visa valorizar o patrimônico histórico e melhorar a acessibilidade do local. Em agosto, foi realizada a pesquisa histórica para coletar dados existentes sobre a rua e assim, ser implantada a vala única que abrigará a fiação elétrica, cabos de fibra ótica, rede de gás, distribuição de água e a coleta de esgoto. A obra da Rua Chile faz parte do lote 2 do projeto "Pelas Ruas".

O projeto está sob coordenação de uma equipe de arqueólogos da A Lasca Arqueologia, que é especializada na avaliação e protenção de bens tombados. Depois de analisar as informações levantadas em pesquisa, 14 trincheiras serão abertas ao longo da rua, com extensão de 3 x 1 metros, para permitir boa leitura dos vestígios arqueológicos que forem encontrados. Finalizado o trabalho, com previsão de término em outubro, o material descoberto será apresentado ao Iphan e encaminhado ao Museu Arqueológico da Embasa.

Serão recuperados  7,9 quilômetros de pavimento e 8,9 quilômetros de passeios, além da execução da vala técnica. Haverá a requalificação nas ruas das Vassouras, da Misericórdia, Guedes de Brito, Padre Vieira, da Ajuda e José Gonçalves, cujo investimento é de R$4,5 milhões.

A Chile é a primeira rua do país e é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), desde 1984, e reconhecida pela Unesco, em 1985, como Patrimônio da Humanidade.

Notícias relacionadas