Cidade

TSE verifica irregularidades em quase 39 mil doações de campanhas

A campanha deste ano é a primeira em que está proibido o financiamento de campanhas eleitorais por empresas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já identificou quase 39 mil doadores, de 114 mil no país, com indícios de irregularidades, ou seja, um terço do total. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Elza Fiúza / ABr

Por Laura Lorenzo no dia 20 de Setembro de 2016 ⋅ 18:55

A campanha deste ano é a primeira em que está proibido o financiamento de campanhas eleitorais por empresas e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já identificou quase 39 mil doadores, de 114 mil no país, com indícios de irregularidades, ou seja, um terço do total. 

Um levantamento feito nos tribunais regionais eleitorais de 15 estados do país mostraram que existem quase 12 mil denúncias de irregularidades. Além das doações ilegais, outros crimes foram identificados, como propaganda irregular, compra de voto, uso da máquina pública e pesquisas eleitorais sem registro.

A polícia apreendeu em alguns municípios, como em Cajueiro-AL, documentos de eleitores relacionados a uma lista de material de construção e lotes de terra que seriam trocados por votos. No rio, o TRE está investigando um candidato a vereador que distribuiu óculos em Paquetá para conseguir votos. 

A Justiça espera contar com o eleitorado para denunciar irregularidades, inclusive na internet, já que é difícil fiscalizar todos os locais em que podem ocorrer abusos. Inclusive nas eleições deste ano em Salvador, pela primeira vez, doadores e fornecedores de bens e serviço das campanhas de 2016 podem participar ativamente do processo de fiscalização do financiamento de campanhas por meio de formulários eletrônicos disponíveis no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Notícias relacionadas