Cidade

Rui critica prefeitura por retirar placas de obras do governo

O Centro Histórico de Salvador foi lembrado na entrevista do governador Rui Costa (PT), nesta quinta-feira (22), na Radio Metrópole. Rui listou algumas das mudanças e investimentos que estão sendo feitos em um dos cartões postais mais visitados da Bahia. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Metropress

Por Milene Rios e Gabriel Nascimento no dia 22 de Setembro de 2016 ⋅ 10:08

Alvo de reclamações de abandono e insegurança, o Centro Histórico de Salvador foi lembrado na entrevista do governador Rui Costa (PT), nesta quinta-feira (22), na Radio Metrópole. Rui listou algumas das mudanças e investimentos que estão sendo feitos em um dos cartões postais mais visitados da Bahia. 

“Já iniciamos a obra no Centro. Não fizemos a Av. 7 de Setembro porque o município disse que ia fazer. Nosso Centro vai ganhar dois novos hotéis. Tem um investimento forte em educação, estamos aplicando em muitas ruas do Centro R$ 115 milhões de pavimentação. Não só no histórico, mas tambem no Centro Antigo. Pega todo o entorno. Essas obras do Comércio são do governo do estado. Tororó, Saúde, Barbalho”, ressaltou o governador que aproveitou pra alfinetar a prefeitura de  Salvador por recolher as placas de obras durante inaugurações do governo. “Nossas placas estão sendo retiradas. As nossas não ficam. Mas graças a Deus alguns veículos de comunicação me permitem dizer de quem é a obra. As obras do Centro Histórico, Rua Chile, são todas obras do governo do estado. Tamanho G.” disse. 

O governador pontuou ainda algumas que para permitir melhorias para as empresas, comerciantes e até para o público que frequenta o Centro Histórico e estimular a ocupação do local. "O grande erro do nosso Centro, é que, no exterior, você percebe que o centro continua todas as atividades acontecendo, ali está a vida da cidade. Houve um erro aqui de se esvaziar o Centro Histórico e tentar se montar ali uma concepção de presépio. Isso não funciona, em lugar nenhum, não era aqui que ia funcionar. Estamos fazendo o movimento inverso. Pra ocupar com restaurantes, bares, universidades . Cedemos o prédio da antiga Petrobrás pra funcionar a reitoria da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), portanto, precisamos estimular a ocupação. Os imóveis voltam a ser valorizados, voltam a servir como moradia e atividade econômica”, afirmou o governador. 

Notícias relacionadas