Cidade

Fernando Schmidt ressalta privilégio de ter sido amigo de Gaspar Sadoc

"É um dia de muita tristeza". Foi assim que o ex-presidente do Bahia Fernando Schidt lamentou o falecimento de Monsenhor Gaspar Sadoc, que morreu na noite da última quinta-feira (22). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni e Matheus Morais no dia 23 de Setembro de 2016 ⋅ 11:53

"É um dia de muita tristeza". Foi assim que o ex-presidente do Bahia Fernando Schidt lamentou o falecimento de Monsenhor Gaspar Sadoc, que morreu na noite da última quinta-feira (22). Em velório realizado na Igreja de Nossa Senhora da Vitória, nesta sexta-feira (23), o ex-mandatário do Tricolor ressaltou que teve o privilégio de ter sido amigo do pároco.

"Padre Sadoc vinha lutando nesses últimos anos pela sobrevivência. Chegou a completar 100 anos, foi uma vitória para ele continuar a servir a Deus", disse ele, em entrevista ao Metro1.

Emocionado, Schmidt lembrou de momentos que teve com Monsenhor Gaspar Sadoc em vida. "Padre Sadoc é dessas pessoas que marcam a vida da gente de forma indelével para sempre. Eu tive o privilégio de ser seu amigo, admirador e receber vários conselhos dele. Ele sempre estava disponível para isso, para uma palavra amiga, para resolver uma aflição e dar um encaminhamento. Ele era um homem que, se pudéssemos definir a nossa palavra, permanentemente estava a disposição de Deus", afirmou.

Notícias relacionadas