Cidade

Ex-secretário, Pelegrino citou "tirantes comprometidos" do Centro de Convenções

Desde que passou pela Secretaria de Turismo da Bahia, Nelson Pelegrino (PT) teve como uma das suas principais bandeiras a revitalização do Centro de Convenções, no Stiep, interditado desde maio de 2015. Após um ano e meio no cargo, o petista foi exonerado e voltou à Câmara Federal. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress // Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 24 de Setembro de 2016 ⋅ 15:08

Desde que passou pela Secretaria de Turismo da Bahia, Nelson Pelegrino (PT) teve como uma das suas principais bandeiras a revitalização do Centro de Convenções, no Stiep, interditado desde maio de 2015. Após um ano e meio no cargo, o petista foi exonerado e voltou à Câmara Federal. Nesta sexta-feira (23), o desabamento de parte do Centro de Convenções expôs a fragilidade da reforma. Publicamente, ele afirmava que as obras seriam concluídas em outubro, ressaltando que o empreendimento não reabriria sem que tivesse segurança.

No entanto, Pelegrino não tornou pública a real situação do equipamento. Em abril, em conversa com a Metrópole fora dos microfones, o ex-secretário disse que, durante a reforma, foi percebido que parte da estrutura estava comprometida. "Os tirantes já foram trocados. Só que no curso da troca desses tirantes, o pessoal subiu lá em cima e viu que os bancos que sustentam os tirantes estão comprometidos. Estamos fazendo agora uma recuperação desses bancos, que são 60 metros de cada lado. Vamos colocar uma chapa metálica, pixar e pintar. Isso estamos tendo reuniões para resolver o problema", disse ele.

Pelegrino afirmou, inclusive, que os engenheiros da obra acharam uma "solução mágica" entre o segundo e o terceiro andar do edifício. "Tem uns tirantes comprometidos e, se fosse tirar um por um, seria uma mão de obra muito grande, que teria que reforçar e estrutura com escoras. Um dos responsáveis pela obra encontrou uma solução mágica que, ao invés de trocar os tirantes, a gente colocaria um entre o outro. Aí resolve o problema e a gente pode reabrir o segundo andar", declarou. Ao todo, cerca de R$ 15 milhões haviam sido gastos na obra de reforma do espaço.

Leia mais:

"O chão tremeu e parecia uma implosão", relata morador sobre desabamento

Técnicos avaliam Centro de Convenções para apontar causa de desabamento?

 

Notícias relacionadas