Cidade

"Divulgadoras" de candidatos trabalham em condições precárias por R$ 30

Já viu aqueles homens e mulheres-placa fazendo propaganda dos candidatos a vereador em Salvador? Pois saiba que alguns dos postulantes à Câmara Municipal pagam R$ 30 para que os seus "divulgadores" trabalhem até 10 horas por dia — das 8h às 18h —, no sol e na chuva, sem água, almoço, protetor solar ou benefícios, balançando bandeiras no meio da rua. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Luiza Leão/Metropress

Por Laura Lorenzo no dia 29 de Setembro de 2016 ⋅ 19:00

Já viu aqueles homens e mulheres-placa fazendo propaganda dos candidatos a vereador em Salvador? Pois saiba que alguns dos postulantes à Câmara Municipal pagam R$ 30 para que os seus "divulgadores" trabalhem até 10 horas por dia — das 8h às 18h —, no sol e na chuva, sem água, almoço, protetor solar ou benefícios, balançando bandeiras no meio da rua. 

O Metro1 conversou, na última quarta-feira (28), com cinco trabalhadoras — três de uma candidata e duas de um candidato a vereador — que realizam esta atividade. Das cinco, duas — de 16 e 17 anos — eram menores de idade. Uma delas, inclusive, trabalhava junto com a mãe, numa tentativa de aumentar a renda familiar.

Sujeitas às condições climáticas extremas de Salvador e também a roubos e agressões, uma das entrevistadas contou que já viu colegas sendo assaltados ou sentindo os efeitos do calor, mas nada foi feito pelo candidato, afinal, o serviço é informal e não há nenhuma garantia trabalhista. “Tiveram pessoas que passaram mal, mas aí melhora e depois volta”, contou. 

Ao serem questionadas porque trabalhar naquelas condições, a resposta foi unânime: a culpa é do desemprego. “A gente está assim porque está sem trabalho mesmo”, disse uma delas.

Notícias relacionadas