Cidade

Vereadores negam troca de voto por “bênção”; PF cita provas do esquema

O vereador Welligton Andrade (PSDB) e o candidato a vereador Pastor Pedro (PSC), de Feira de Santana, negaram as acusações de compra de votos. Eles são investigados pela operação Simão, deflagrada pela Polícia Federal na manhã dessa sexta-feira (30) [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação

Por Bárbara Silveira no dia 30 de Setembro de 2016 ⋅ 14:59

O vereador Welligton Andrade (PSDB) e o candidato a vereador Pastor Pedro (PSC), de Feira de Santana, negaram as acusações de compra de votos. Eles são investigados pela operação Simão, deflagrada pela Polícia Federal na manhã dessa sexta-feira (30). De acordo com a PF, foram cumpridos nove mandados de condução coercitiva e oito de busca e apreensão.

Na ação, os agentes apreenderam listas com nomes de fiéis que frequentavam a igreja evangélica dos candidatos que receberiam orações caso fornecessem seus dados. Quem se negasse a fornecer as informações sofria ameaça de ser “amaldiçoado”. "A prática foi confirmada com apreensão das listas. Foi identificado que havia esquema dentro da associação religiosa para fornecimento de exames e condutas médicas em troca do fornecimento do título do eleitor do paciente", rebateu o delegado Fábio Marques.

Segundo a PF, também foi flagrado, através de interceptação telefônica, a negociação de um lote de votos  feita por um homem ligado aos candidatos. "Ele [pastor] aciona um parceiro dele, o atual vereador, e faz a mesma proposta. Eles marcam uma reunião onde a PF fez acompanhamento e verificou que a negociação foi efetivada", disse.

 

Notícias relacionadas