Cidade

Motoristas do Uber protestam contra falta de segurança para a categoria

Os motoristas do aplicativo Uber estão reunidos na Avenida Magalhães Neto, em frente ao Hotel Mercure, para definir os rumos da manifestação, nesta quarta-feira (5). Eles reivindicam mais segurança aos condutores ligados ao serviço. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia e Gabriel Nascimento no dia 05 de Outubro de 2016 ⋅ 10:02

Os motoristas do aplicativo Uber estão reunidos na Avenida Magalhães Neto, em frente ao Hotel Mercure, para definir os rumos da manifestação, nesta quarta-feira (5). Eles reivindicam mais segurança aos condutores ligados ao serviço.

Cerca de 50 motoristas protestam contra uma emboscada sofrida pelo colega, Ricardo Souza, 36 anos, nessa terça (4), após ser agredido com pauladas, enquanto realizava trajeto próximo ao Complexo Penitenciário da Mata Escura. 

Apenas quatro motoristas conversam com representantes para definir estratégias e alertar a população sobre a violência. A Polícia Militar e a Transalvador acompanham o movimento. Até o momento, a situação não atrapalha o trânsito. 

Segundo um motorista do Uber que não quis se identificar, eles não vão sair em carreata. "Não temos intenção nenhuma de prejudicar a sociedade, toda nossa luta vai ser pacificamente e judicialmente". 

Além da falta de segurança, eles discutem também o pagamento em dinheiro feito por passageiros. "Estava tudo de boa, até esse negócio de dinheiro chegar. Ontem foi discutido no HGE uma pauta, pedimos adaptações no aplicativo. A melhora da comunicação entre motorista e passageiro. Otimização, questão do cadastramento do usuário pra ter no minimo o número do CPF, essa questão do recebimento em dinheiro, grande parte das solicitações são adequações. Precisa ajustar muita coisa", pontuou o rapaz.

Oficialmente na ilegalidade, o transporte alternativo iniciou a operação no dia 7 de abril deste ano, na capital baiana. A nova opção de pagamento com dinheiro começou a valer no dia 11 de julho. Até então, o serviço era pago pelo cartão de crédito, através de um cadastro no aplicativo.

Notícias relacionadas