Cidade

"Prefeito de Lauro é um genocida", diz Sindimed sobre demissões no Samu

O presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed), Francisco Magalhães, se irritou com as demissões de profissionais que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Lauro de Freitas [leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 24 de Outubro de 2016 ⋅ 09:32

O presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed), Francisco Magalhães, se irritou com as demissões de profissionais que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Lauro de Freitas. Magalhães acusou o prefeito Márcio Paiva, que também é médico, de ser um "genocida" por permitir a redução no atendimento. " O prefeito desativa o serviço que é a salva vida das pessoas,  o Conselho Regional de Medicina deveria cassar o registro médico dele. O prefeito de Lauro de Freitas é um genocida. Estamos no pior momento da vida do Brasil”, disse.

Segundo o Sindimed, a situação é encontrada em outras cidades do interior. “Os prefeitos que perderam a eleição dispensam os profissionais e os que se elegeram cometem o mesmo crime para regularizar as contas. A população fica exposta, o individuo que tem uma insuficiência renal, todos eles ficam expostos devido a irresponsabilidade dos gestores”, completou. 

"O prefeito deo Camaçari é outro. Fecha duas UPAs com a alegação que tem que arrumar. Isso não existe. Os MPs dessas cidades deveriam entrar com uma denúncia crimanal contra esses prefeitos. A gente vai pra justiça, responde. E esses prefeitos?", disse sobre Adelmar Delgado.

 

Notícias relacionadas