Cidade

Rui Costa diz que "nunca" articulou financiamento de campanha: "Universo vasto"

O financiamento de campanha foi um dos assuntos comentados por Rui Costa (PT), na manhã desta segunda-feira (7), em entrevista a Rádio Metrópole. Durante conversa com Mário Kertész, o governador da Bahia disse que "nunca" articulou este tipo de prática. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Jessica Galvão e Matheus Morais no dia 07 de Novembro de 2016 ⋅ 11:00

O financiamento de campanha foi um dos assuntos comentados por Rui Costa (PT), na manhã desta segunda-feira (7), em entrevista a Rádio Metrópole. Durante conversa com Mário Kertész, o governador da Bahia disse que "nunca" articulou este tipo de prática.

"O PT topou dançar a música que era tocada há décadas, a música do financiamento de campanha e repetiu e dançou a mesma música que todos dançaram ao longo de anos. Só que, infelizmente, ninguém dizia nada até o PT começar a dançar a música. Mas, na hora que o PT começou a dançar, todo mundo disse 'Epa, aqui não pode. Essa música é a música da corrupção, é do escândalo, é do favor do empresário com o eleito'. Eu sempre fui contra essa forma de finaciamento, e portanto, o PT pagou esse preço nesta eleição. As coisas mudam a cada período e eu acho que a próxima conta não estará na conta do PT mas sim na de outros partidos. A princípio não tem discussão de troca de partido. Eu sairei com meu patrimônio da mesma forma que entrei. Tem gente que enriquece quando entra no poder e ajuda os amigos, triplica o patrimônio, que troca de apartamento", disse. 

Na ocasião, Rui disse também que o financiamento de campanha não era considerado crime. "A música tocava e todo mundo dançava a mesma música, todo mundo sabia como era o finaciamento de campanha no Brasil, e isso era legalizado. Ou seja, todas as empresas financiavam a campanha e isso nunca foi considerado crime. De repente, algumas pessoas passaram a julgar que a doação, mesmo oficial, é criminosa porque se estabelece uma relação de causa e efeito", contou. "Há uma confusão, eu nunca articulei esse negócio de financiamento de campanha, nem a minha. Eu diria que isso é um universo vasto, muitos que arrecadavam acabavam ficando com a maior parte destas supostas doações", completou Rui. 

"Há uma confusão, eu nunca articulei esse negócio de financiamento de campanha, nem a minha. Eu diria que isso é um universo vasto, muitos que arrecadavam acabavam ficando com a maior parte destas supostas doações", disse. "É nítido a participação do crime nas eleições desse ano. Não existe democracia sem política. Portanto nós precisamos dizer qual a forma que a democracia tem que seguir no Brasil. Cada país seguiu um formato. Eu sou a favor de um fundo de financiamento da democracia brasileira, que esse fundo financie as campanhas de deputados, governadores. Isso que eu estou preocupado, é hora do Brasil virar a página, isso tá fazendo mal para o Brasil. Nós precisamos votar no congresso o novo regramento da política", falou Rui Costa. 

Notícias relacionadas