Cidade

Salvador lidera ranking nordestino de roubos de celulares; confira a lista

A cidade de Salvador, que se destaca como a principal cidade da região Nordeste, registra um dado nada satisfatório para os usuários de telefonia móvel. A capital baiana concentra o maior índice de roubos de celular entre as cidades nordestinas. As informações constam em um levantamento da corretora Bem Mais Seguro, divulgado nesta segunda-feira (20), onde foram utilizados dados do site Onde Fui Roubado, que serve para registrar locais nas cidades onde os crimes acontecem. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Matheus Simoni no dia 20 de Julho de 2015 ⋅ 16:30

A cidade de Salvador, que se destaca como a principal cidade da região Nordeste, registra um dado nada satisfatório para os usuários de telefonia móvel. A capital baiana concentra o maior índice de roubos de celulares entre as cidades nordestinas. As informações constam em um levantamento da corretora Bem Mais Seguro, divulgado nesta segunda-feira (20), onde foram utilizados dados do site Onde Fui Roubado, que serve para registrar locais nas cidades onde os crimes acontecem.

Ainda de acordo com o estudo, depois de Salvador, Fortaleza e Recife são as cidades que mais apresentaram ocorrências na região. Entre os bairros soteropolitanos, a Pituba lidera o número de roubos de celulares na capital baiana. Já o Rio Vermelho e Nazaré aparecem logo atrás. Para o presidente da Bem Mais Seguro, Marcello Ursini, o alto índice de é diretamente proporcional à condição financeira das vítimas. "As regiões com grandes aglomerações e por onde circulam pessoas com maior poder aquisitivo são as mais visadas pelos assaltantes", afirmou.

A pesquisa também aponta que os locais com mais roubos de celular são no Transporte Público (31% dos casos) e nas Vias Públicas (29%). Além disso, roubos de celulares no trânsito registraram 25% das ocorrências e somente 16% ocorreram em locais fechados, como residências ou centros comerciais. O período do dia mais adotado pelos ladrões de aparelhos é o noturno, com 56% dos casos (apenas 44% dos crimes foram registrados à luz do dia).

Notícias relacionadas