Cidade

Prefeitura se prepara para início da Operação Chuva em Salvador

Com a proximidade do período chuvoso, que historicamente acontece entre os meses de abril a julho em Salvador, a Prefeitura se prepara para atender todas as demandas e dar as respostas aos cidadãos com mais celeridade. O decreto para o início da Operação Chuva 2017 está em fase de conclusão e deve ser assinado pelo prefeito ACM Neto nos próximos dias, segundo o órgão municipal. Algumas das ações a serem realizadas foram antecipadas pela Defesa Civil de Salvador (Codesal) na última sexta-feira (3). [Leia mais...]

[Prefeitura se prepara para início da Operação Chuva em Salvador]
Foto : Divulgação/Codesal

Por Matheus Simoni no dia 04 de Março de 2017 ⋅ 08:19

Com a proximidade do período chuvoso, que historicamente acontece entre os meses de abril a julho em Salvador, a Prefeitura se prepara para atender todas as demandas e dar as respostas aos cidadãos com mais celeridade. O decreto para o início da Operação Chuva 2017 está em fase de conclusão e deve ser assinado pelo prefeito ACM Neto nos próximos dias, segundo o órgão municipal. Algumas das ações a serem realizadas foram antecipadas pela Defesa Civil de Salvador (Codesal) na última sexta-feira (3).

"Na realidade estamos no momento pré-operação, com a estrutura alinhada para atuar de forma mais incisiva. Durante a operação propriamente dita, que deve iniciar em abril, todas as equipes que fazem parte do Sistema Municipal de Proteção e Defesa Civil (SMPDC) atuam em esquema de plantão 24h para que as respostas relacionadas à chuva sejam ainda mais rápidas nos momentos mais críticos", afirma o diretor-geral da Codesal, Gustavo Ferraz.

Segundo o diretor, as ações no decorrer do ano são essenciais para que, no período das chuvas mais intensas, os transtornos sejam menores. "Temos trabalhos educativos nas escolas e nas comunidades, além do Programa de Voluntariado. Além disso, 64 áreas foram beneficiadas com as geomantas, temos ainda seis pontos com oito sirenes de alerta e alarme e 38 pluviômetros espalhados por diversos pontos da cidade", destaca Ferraz.

Prefeitura investe em novas tecnologias

A Operação Chuva também contará com tecnologia considerada de ponta para acompanhamento, atuação e solução de casos envolvendo risco aos cidadãos. Um exemplo é o uso de tablets pelos engenheiros, que agilizam o trabalho com as informações online para os outros órgãos do sistema. O Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec) também é um instrumento pontuado como importante pelo órgão, que atua no sentido de proteger a população para a possibilidade do risco. Composto por dez estações de trabalho com três monitores cada e dois videowalls (painéis), os meteorologistas, geólogos e técnicos monitoram e fazem previsão de riscos e desastres naturais como chuvas intensas, alagamentos e deslizamentos de terra. Acompanham as imagens do radar meteorológico de Salvador e de satélites, além dos pluviômetros automáticos instalados em todo o município.

Além do uso de tablets e do Cemadec, também entra na lista de novas tecnologias a Estação Total Robotizada (ETR), que conta com 100 prismas instalados na encosta de Santo Antônio Além do Carmo para identificar a movimentação da terra na localidade. O Sistema de Alerta e Alarme tem como intuito avisar, através de alarme sonoro e visual, quando da iminência de um acidente de deslizamento de terra, baseado nas avaliações do Cemadec.

A operação também deve contar com envio de mensagens de texto (SMS) às lideranças comunitárias capacitadas através dos Nupdec’s, com o intuito de alertá-los quando da possibilidade de ocorrências de chuvas fortes. 

Voluntários também podem ajudar na operação

Já o programa de Voluntariado também foi criado com o objetivo de reunir pessoas interessadas em colaborar nas ações de defesa civil, com vistas a fazer uma rede de solidariedade em toda a cidade. As inscrições estão abertas durante todo o ano e podem ser feitas no site da Codesal, no endereço www.codesal.salvador.ba.gov.br.?

Notícias relacionadas