Cidade

Operação da polícia em Valéria e Coutos não tem previsão para ser concluída

Com o objetivo de deter traficantes envolvidos com homicídios, a operação das polícias Civil e Militar nos bairros de Valéria e Fazenda Coutos, não tem previsão para ser encerrada. Neste sábado (8), poucas pessoas circularam pelas ruas. Viaturas ficaram paradas no final de linha da Lagoa da Paixão, em Coutos. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/Correio

Por Gabriel Nascimento no dia 08 de Agosto de 2015 ⋅ 19:15

Com o objetivo de deter traficantes envolvidos com homicídios, a operação das polícias Civil e Militar nos bairros de Valéria e Fazenda Coutos, não tem previsão para ser encerrada. Neste sábado (8), poucas pessoas circularam pelas ruas. Viaturas ficaram paradas no final de linha da Lagoa da Paixão, em Coutos. Os policias têm utilizado máscaras, armas pesadas e circulam pelo bairro o dia inteiro, entrando em casas e revistado moradores.

Na última sexta-feira (7), seis pessoas foram mortas após troca de tiros com a polícia. Treze foram conduzidas e seis armas foram apreendidas. Balanças de precisão e drogas foram encontradas. Em nota, o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), José Alves de Bezerra, informou que “a ocupação será mantida durante todo o fim de semana. Iniciou sem prazo para ser concluída”.

A ação dos policiais tem gerado inúmeras reclamações. Moradores ficaram desesperados com a ocupação. “Eles chegaram empurrando e batendo na porta de quem não tinha nada a ver. Duas vizinhas que não têm envolvimento com nada foram prejudicadas”, disse um morador da região ao jornal Correio. 300 policiais civis e militares participaram da ação.

Notícias relacionadas