Cidade

Pela primeira vez na Bahia, Mundial de Wrestling começa nesta terça-feira

Pela primeira vez na história da Luta Olímpica, o Brasil será sede do Campeonato Mundial de Wrestling Júnior. O torneio, que acontece em Salvador, começa nesta terça (11), às 19h, com a presença do governador Rui Costa, e segue até o próximo domingo (16). Ao todo, mais de 600 atletas e 59 países são aguardados no evento. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação/ GovBa

Por Ticiane Bicelli no dia 11 de Agosto de 2015 ⋅ 16:57

Pela primeira vez na história da Luta Olímpica, o Brasil será sede do Campeonato Mundial de Wrestling Júnior. O torneio, que acontece em Lauro de Freitas, começa nesta terça (11), às 19h, com a presença do governador Rui Costa, e segue até o próximo domingo (16). Ao todo, mais de 600 atletas e 59 países são aguardados no evento. Durante coletiva de imprensa realizada na última sexta-feira (7), no Centro Pan Americano de Judô, o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Álvaro Gomes, falou sobre a escolha da Bahia como sede. “Nós teremos aqui um aquecimento da economia durante o período da competição. É um campeonato que recebemos pela primeira vez na América do Sul. Competimos com países como Suiça e Bulgária, além de outras cidades brasileiras como Recife e Rio de Janeiro e conseguimos trazer essa grande competição para a Bahia. Talvez seja a maior presença de outros países aqui no estado”.

Álvaro Gomes adiantou também que o governo do Estado busca uma parceria com Cuba para incentivar o esporte através de um acordo de cooperação. Segundo o secretário, para este evento, há uma preocupação em estimular o esporte como inclusor social. “Teremos o envolvimento de 50 escolas durante a competição, com 8.000 crianças que terão aulas de luta olímpica e poderão assistir ao campeonato no Centro Pan Americano de Judô. Faremos também um processo de inclusão social de estímulo ao esporte em bairros onde as crianças estão em situação de vulnerabilidade. Nós estamos a um ano das Olimpíadas criando no nosso estado um clima olímpico. Não tivemos participação da iniciativa privada, mas o Governo Federal fez um investimento de R$ 3,3 milhões, além de R$400 mil do Governo do Estado da Bahia”, explicou.

O presidente da Confederação Brasileira de Wrestling, Pedro Gama, acredita que, além dos atrativos da Bahia, as Olimpiadas de 2016 também pesou na escolha do local. “A Bahia, por si só, é o grande palco para qualquer evento no mundo. A Federação Internacional sempre quis que a gente fizesse um evento de peso no mundo do Wrestling, justamente pelo fato de o Brasil ser um país novo e em crescimento franco no Wrestling. É o nosso primeiro grande teste para os Jogos Olímpicos”. Segundo Pedro Gama, o esporte é democrático e fácil de entender. “A expectativa é a de que o público baiano venha conhecer o esporte, que é fascinante. Os melhores lutadores do mundo estarão aqui. Muitos campeões do MMA vem do Wrestling. É uma luta de domínio, que não tem chave de braço, não tem estrangulamento, é simplesmente derrubar e imobilizar o adversário. Não é uma luta violenta, é democrática, a gente tem luta em todos os pesos, todo mundo pode participar. É barata a participação e tem tudo para o Brasil ser uma grande potência em alguns anos”, concluiu.

Notícias relacionadas