Cidade

Interrupções no fornecimento de energia elétrica têm causado prejuízo

Bastou chover para os transtornos relacionados à queda de energia elétrica começarem acrescer. Desde o último mês, quando Salvador registrou o maior volume de chuva dos últimos 24 anos, a população convive com as interrupções [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Daniele Rodrigues/Metropress (Arquivo)

Por Bárbara Silveira no dia 28 de Maio de 2015 ⋅ 12:00

Bastou chover para os transtornos relacionados à queda de energia elétrica começarem acrescer. Desde o último mês, quando Salvador registrou o maior volume de chuva dos últimos 24 anos, a população convive com as interrupções no fornecimento e os prejuízos decorrentes disso. No início de maio, até os trens do Subúrbio Ferroviário ficaram sem operar por conta da falta de energia. Apesar de ser uma situação recorrente,

segundo a Coelba, a interrupção no serviço é necessária para evitar acidentes. “Água e eletricidade não combinam. A maior causa da falta de eletricidade nesses períodos são os materiais que são lançados na rede: plástico, pano e principalmente, galhos de árvore. As nossas redes têm uma proteção: toda vez que um material desse é lançado na rede e ‘fecha curto’, ela desarma, para não acontecer algum tipo de acidente. A maior preocupação que a gente tem é com a vida”, explica o Gerente do Departamento de Operações da Coelba, Joe Tavares.


Porém, entender os motivos da interrupção fica difícil para quem tem algum tipo de prejuízo por causa do corte da energia. De acordo com o diretor de Atendimento do Procon, Iratãn Vilas Boas, a prática fere o Código de Defesa do Consumidor. “É importante que o consumidor faça o orçamento dos equipamentos que foram danificados para que o Procon apresente à empresa e solicite o ressarcimento e indenizações”, afirma. Já que é assim, o Jornal da Metrópole vai continuar acompanhando o serviço da Coelba nesse período de chuva.

Notícias relacionadas