Cidade

"Defendo a ética do gerador de crédito", diz jurista sobre endividamentos

O novo livro de Fabiana Pellegrino será lançado na próxima segunda-feira (24), às 18h30, na Livraria Cultura do Salvador Shopping. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia no dia 20 de Agosto de 2015 ⋅ 08:29

A juíza Fabiana Pellegrino, do 2º Juizado de Defesa do Consumido, comentou com Mário Kertész a postura dos geradores de crétido que ela escreveu em seu novo livro, "Tutela Jurídica do Superendividamento", o primeiro da autora na área de Defesa do Consumidor. "Diante do fenômeno da democratização do crédito, defendo que haja uma postura ética por parte desses fornecedores. Hoje, 70% dos entrevistados com dívidas passaram a enfrentar o problema por conta dos chamados acidentes da vida, como desempregos e divórcios", afirmou em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (20). 

Fabiana Pellegrino falou que não é só o lucro que deve importar e que, hoje, existe uma desigualdade real nos contratos. "Estado tem que entender e se inserir nesse novo quadro de contratos, isso chama-se função social do contrato. Houve uma explosão de crédito e as pessoas aceleraram o consumo. Esse acesso não é ruim, mas na minha visão aconteceu uma posição antiética dos empresários".

Ela defende que as pessoas só se sentem inseridas na sociedade a partir dos bens de consuo e modismos. "Essa engrenagem deve companhar uma concessão de crédito responsável, eles devem esclarecer ao consuidor o que está acontecendo de verdade".

A obra da jurista será lançada na próxima segunda-feira (24), às 18h30, na Livraria Cultura do Salvador Shopping.

Notícias relacionadas