Cidade

Familiares de vítimas relatam falta de assistência após tragédia em Mar Grande

Durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (28), familiares das vítimas da tragédia com a lancha da travessia Salvador-Mar Grande denunciaram a falta de assistência da empresa responsável pela embarcação Cavalo Marinho I, a CL Transporte Marítimo. Segundo relatos, os custos com funeral, por exemplo, foram pagos pelos próprios parentes.[Leia mais...]

[Familiares de vítimas relatam falta de assistência após tragédia em Mar Grande ]
Foto : Divulgação/Graer

Por Gabriel Nascimento no dia 28 de Agosto de 2017 ⋅ 09:08

Durante entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (28), familiares das vítimas da tragédia com a lancha da travessia Salvador-Mar Grande denunciaram a falta de assistência da empresa responsável pela embarcação Cavalo Marinho I, a CL Transporte Marítimo. Segundo relatos, os custos com funeral, por exemplo, foram pagos pelos próprios parentes.

Entre eles está Juliana Santana, que é prima de Davi Gabriel Monteiro Coutinho. A criança de seis meses morreu depois do acidente na última quinta-feira (24). "Não tivemos assistência alguma dos responsáveis. Nem para Davi, nem para outros familiares. A gente veio reivindicar. Deram somente parte do que deveria ser dado. Estamos aqui reivindicando melhoria nas embarcações e estamos cobrando em nome de todos e também assistência psicológica", reclamou.

A declaração é parecida com a do ouvinte de prenome Fernando. "Não está pagando nada de auxílio funeral. Nada. É tudo mentira. Você precisa mandar o pessoal lá da imprensa, tá tudo errado. Tem que parar mesmo para fazer protesto", disse. Uma manifestação impediu o tráfego das lanchas nesta manhã.

Especialista em contratos de responsabilidade civil, Leandro Neves, disse que a obrigatoriedade da indenização está no Código Civil. "É uma questão simples. O contrato feito entre os transportados e a empresa transportadora, é um contrato de consumo. Esse contrato diz, basicamente, que o transportador é obrigado a levar o tranportado até o seu destino com total segurança. Se ele não assim o fizer, incide sobre ele a responsabilidade civil. Tem o dever de indenizar", disse.

Notícias relacionadas