Cidade

Empurrando com a barriga:Mercado de Itapuã acumula prazos descumpridos

Já se passaram mais de dois anos desde que o antigo Mercado de Itapuã foi demolido. E o que se vê são prazos e prazos descumpridos. Em maio de 2013, os permissionários perderam seu local de trabalho com a promessa de receber da Prefeitura [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Ticiane Bicelli no dia 20 de Agosto de 2015 ⋅ 13:44

Já se passaram mais de dois anos desde que o antigo Mercado de Itapuã foi demolido. E o que se vê são prazos e prazos descumpridos. Em maio de 2013, os permissionários perderam seu local de trabalho com a promessa de receber da Prefeitura um novo espaço totalmente reformado. Durante a espera, eles deveriam receber uma ajuda financeira, além da transferência para um local provisório. Não viram nem uma coisa nem outra. 

Em julho, o Jornal da Metrópole esteve no local e mostrou a enorme placa metálica que anunciava a conclusão das obras para o dia 14 de junho de 2015. Já estava atrasado. Passamos da metade de agosto, e nada. A justificativa? A chuva, segundo a secretária de Ordem Pública, Rosemma Maluf. “O mercado nunca esteve parado. Está seguindo o cronograma de obras. A nova previsão de entrega é outubro. Houve necessidade de prorrogar, porque choveu muito nesse período e isso comprometeu o andamento das obras, entre outros ajustes necessários”, justificou.

Além disso, o local tem sido criticado por abrigar entulho e ambulantes ilegais. Sobre o assunto, Maluf afirmou que uma operação educativa está sendo realizada: “Não será permitida a instalação de nenhum equipamento informal, a exemplo de carrinhos de mão ou isopor. Vamos montar uma estrutura de fiscalização fixa após a entrega do mercado e da orla. Com a inauguração, vamos devolver a área às baianas, aos vendedores de coco e a alguns permissionários que já tinham licenças. O informal não vai ter licença”, diz. Vamos acompanhar.

Notícias relacionadas