Cidade

Vivo falha em registros básicos de chamadas em alguns bairros de Salvador

A telefonia móvel em Salvador não se cansa de pisar em seus clientes. A Vivo, que se vangloria de ter o melhor serviço do país, vem irritando consumidores na capital baiana ao longo dos últimos dias. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Morais no dia 27 de Agosto de 2015 ⋅ 07:07

A telefonia móvel em Salvador não se cansa de pisar em seus clientes. A Vivo, que se vangloria de ter o melhor serviço do país, vem irritando consumidores na capital baiana ao longo dos últimos dias. Somente na manhã de quarta-feira (26), a Metrópole recebeu três queixas de ouvintes por meio de seu WhatsApp acerca da inexistência de sinal de internet 3G e 4G em trechos centrais da cidade. Após a notícia ser publicada no Metro1, o número de reclamações explodiu.

E aí, quando percebemos que nós, da Metrópole, não somos os únicos prejudicados pela Vivo, resolvemos contar o nosso caso para vocês. Nosso trabalho é informar vocês com velocidade e qualidade, certo? Portanto, precisamos dos melhores serviços, dos melhores aparelhos, do melhor atendimento, a fim de que possamos ter toda a tecnologia necessária para não deixar o ouvinte e o leitor nem um segundo desatualizado.

Por isso, optamos pelo mais caro serviço de telefonia e internet móvel empresarial do mercado, o da Vivo. A operadora, que herdou a estrutura das antigas estatais e que tem por trás a gigante espanhola Telefônica, foi a opção. Mas pasmem: todos os nossos números enfrentam problemas básicos, como a falta de sinal, o não reconhecimento de chamadas, e falhas recorrentes na transmissão de dados via internet. E isso porque o slogan deles é “Pega bem”. Imaginem se não pegasse....

Técnico admite falhas em alguns bairros

Nas últimas semanas, a Metrópole, evidentemente, tentou resolver os seus problemas com a Vivo. Eis que, quando consultou um técnico da operadora, recebeu como resposta a informação de que a antena que atende a bairros como Pernambués e Cabula não tem conseguido reconhecer a identidade da ligação — o que faz com que os usuários recebam ligações como “número privado” mesmo em chamadas de pessoas conhecidas e cadastradas na agenda.

Procurado pelo Jornal da Metrópole, o advogado e assessor técnico do Procon­-BA, Felipe Vieira, afirmou que o serviço de telefonia é alvo constante de denúncias no órgão. “Principalmente pela migração entre a telefonia fixa e a telefonia móvel”, falou. Vieira citou também como recorrentes queixas cobranças indevidas e má prestação de serviços prometidos.

 Ouvintes relatam problemas

O ouvinte da Metrópole Jimi Fernandes, cliente da Vivo, contou que foi obrigado a pagar por internet mesmo com os dados móveis do celular desligados. “Imagina quanto a empresa não fatura com esses ‘erros’ de cobranças multiplicados por milhões de clientes?”, questionou. Segundo Fernandes, ao tentar recuperar seus créditos, precisou ficar 30 minutos ao telefone com a central de atendimento da Vivo para ser reembolsado.

Já a estudante Camila Andrade, cliente da Vivo há 10 meses, vem tendo problemas com os serviços da operadora. “Desde não ter sinal a não completar ligações. Já liguei várias vezes para a central e eles não resolvem. Mandam uma equipe, fingem que resolvem, dizem que está tudo bem e continua a mesma coisa”, critica. Por isso, a cliente vai cancelar seu contrato com a Vivo. “Estou entrando em contato com outra operadora de telefone. Assim que puder, vou trocar”, completou.

Vivo é campeã de reclamações
Como já era de se esperar, a Vivo lidera o ranking de reclamações na categoria Celular, Fixo, Internet e TV do site especializado em queixas de clientes Reclame Aqui. Para se ter uma ideia do tamanho da má reputação da empresa, também no mundo virtual, ela recebeu 199.776 queixas, sendo que, deste número, apenas 27,9% das reclamações foram solucionadas.17.3% das pessoas que reclamaram não voltariam a fazer negócio com a Vivo.

Pra piorar a situação, numa escala de 1 a 10, a operadora recebeu a vergonhosa nota de 1.15, o que lhe garantiu o selo de empresa não recomendada entre os usuários do Reclame Aqui. Um verdadeiro papelão. Caso o problema do cliente não seja resolvido em primeira instância pela central de atendimento da empresa, o consumidor poderá recorrer à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ou ao balcão de atendimento do Procon­.

Notícias relacionadas