Cidade

Para Bellintani, Casa do Rio Vermelho pode despertar novos movimentos

O secretário municipal de Educação, Guilherme Bellintani, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole, que a Casa do Rio Vermelho tem o objetivo de não apenas relembrar a obra do escritor Jorge Amado, mas despertar novos movimentos culturais. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Juliana Almirante no dia 29 de Maio de 2015 ⋅ 12:29

O secretário municipal de Educação, Guilherme Bellintani, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole, que a Casa do Rio Vermelho tem o objetivo de não apenas relembrar a obra do escritor Jorge Amado, mas despertar novos movimentos culturais. "Acho importante é que a casa não resolve. Fecha um ciclo 40 anos depois, mas precisamos um olhar crítico. A gente precisa usar a casa para novos movimentos e não ser só memorialista”, avaliou.

“A gente teve a sensação de 'Que pena que ficou pronta', porque foi muito bom fazer (a casa). Vimos cada espaço da casa sendo reconfigurado”, conta. O Jornal do Meio dia dessa sexta-feira (29) é apresentado diretamente da casa, onde Jorge Amado e sua mulher, a também escritora Zélia Gattai, viveram por vários anos. O espaço funciona de terça a domingo, das 10h às 17h.

Notícias relacionadas

[AI-5 é uma 'mancha na vida do Brasil', diz MK; ouça]
Cidade

AI-5 é uma 'mancha na vida do Brasil', diz MK; ouça

Por Metro1 no dia 13 de Dezembro de 2018 ⋅ 08:48 em Cidade

Aniversário de 50 anos do decreto que endureceu a ditadura militar foi um dos assuntos trazidos por Mário Kertész em comentário na Rádio Metrópole