Cidade

MP-BA aciona Ebal por falta de condições sanitárias em Água de Meninos

[Imagem not found]
Foto : Foto: Tácio Moreira/ Metropress

Por Juliana Almirante no dia 13 de Maio de 2015 ⋅ 15:21

 Já denunciada pelo Jornal da Metrópole, a situação precária do galpão de Água de Meninos, onde estão abrigados os comerciantes da Feira de São Joaquim, é alvo de ação civil pública do Ministério Público estadual (MP-BA). A promotoria ajuizou processo com pedido liminar contra a Empresa Baiana de Alimentos S.A. (Ebal), Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), o Sindicato dos Feirantes e Ambulantes da Cidade do Salvador (Sindifeira) e a empresa Ângelo Freitas & Cia Ltda - prestadora de serviço de controle de pragas.

Segundo investigação do MP, os relatórios da Vigilância Sanitária mostram mercadoria fora do local de refrigeração, temperatura indevida e em contato direto com o chão, lixo acumulado, além da presença de baratas, formigas e roedores nas áreas de atendimentos e nos banheiros. A promotoria pede à Justiça concessão de liminar para que a Ebal implante sistema de coleta seletiva de resíduos, repare as brechas entre as portas e portões de acesso ao galpão para evitar a entrada de animais, promova a higienização dos ambientes e renove os equipamentos de exposição dos produtos. O MP-BA quer multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento e indenização de R$ 450 mil pelos acionados à coletividade.

Notícias relacionadas