Cidade

Rodoviários dizem que ônibus da Costa Verde circulam sem câmeras

Na quarta-feira (3), durante a manifestação entre a Estrada do Coco e a Av. Paralela, conforme o Correio da Bahia, rodoviários se queixaram de que os ônibus da empresa Costa Verde - mesma empresa para a qual o cobrador Djanilson Miranda dos Reis trabalhava- circula sem câmeras. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Mauro Akin Nassor/ Correios

Por Bárbara Gomes no dia 04 de Junho de 2015 ⋅ 09:38

Na quarta-feira (3), durante a manifestação entre a Estrada do Coco e a Av. Paralela, conforme o Correio da Bahia, rodoviários se queixaram de que os ônibus da empresa Costa Verde - mesma empresa para a qual o cobrador Djanilson Miranda dos Reis trabalhava  - circula sem câmeras. Outros disseram que as câmeras não funcionam. Após essas informações, o presidente do Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos (Sindmetro), Walter Lopes, disse que vai apurar a denúncia.

“Eu não posso falar com certeza porque eu recebi essa denúncia hoje (03 de junho) dos colegas. Dizem que as câmeras dos ônibus da empresa não funcionam. Preciso investigar se é verdade, não posso falar ainda”, disse. 

Os rodoviários decidiram percorrer o trecho a pé, entre o Maxxi Atacado, na Estrada do Coco, até o Centro Administrativo da Bahia (CAB), na Paralela. Com cerca de 400 rodoviários, o objetivo era protestar contra a morte do cobrador Djanilson Miranda dos Reis, assassinado em um assalto no ônibus onde trabalhava, na noite da segunda-feira (1).

Durante toda a manhã da quarta, houve intensos congestionamentos na Avenida Paralela, Estrada do Coco, orla e em diversas vias próximas à região por onde a marcha passou. O assalto que resultou na morte de Djanilson aconteceu por volta das 23h da segunda-feira, na linha Vilas do Atlântico/Praça da Sé, da empresa Costa Verde, num trecho costuma ter uma grande circulação de ônibus todos os dias.

Notícias relacionadas