Cidade

Vigilantes da Ufba suspendem atividades durante assembleia

Assessoria da universidade informou que os trabalhadores saíram dos postos durante uma hora e depois retornaram, na noite de ontem (20)

[Vigilantes da Ufba suspendem atividades durante assembleia]
Foto : Divulgação/ Ufba

Por Juliana Almirante no dia 21 de Agosto de 2019 ⋅ 09:20

Vigilantes terceirizados da Universidade Federal da Bahia (Ufba) pararam as atividades na noite de ontem (20), durante uma assembleia, o que levou algumas unidades a suspenderem as aulas, de acordo com reportagem do Correio. 

Procurada pelo Metro1 hoje (21), a assessoria de imprensa da Ufba informou que os trabalhadores saíram dos postos durante uma hora e depois retornaram, normalizando as atividades.  

"A Universidade reconhece que a grave situação orçamentária decorrente do contingenciamento de recursos e do bloqueio de 30% de seu orçamento pelo Ministério da Educação afeta os membros de sua comunidade, e pleiteia a liberação imediata de todo o seu orçamento", afirma a nota da instituição.

O diretor da faculdade de Direito, Julio Cesar de Sá da Rocha, informou sobre a interrupção das aulas por meio de nota. 

"A Ufba foi surpreendida com a suspensão dos serviços de segurança agora pela noite, inclusive na Faculdade de Direito. Estamos determinando a suspensão das aulas do último horário de hoje. Amanhã avaliaremos a situação com a reitoria", disse o comunicado assinado por Julio Cesar de Sá da Rocha.

Ainda segundo o Correio, alunos da Faculdade de Comunicação, Bacharelado Interdisciplinar e de outras unidades no campus de Ondina também tiveram aulas finalizadas mais cedo ontem. 

Em maio deste ano, seguranças da MAP também paralisaram as atividades na universidade e acusaram a instituição de dever cerca de R$ 13 milhões à empresa. 

Notícias relacionadas

[Mercado Municipal de Cajazeiras: 2 anos em reforma ]
Cidade

Mercado Municipal de Cajazeiras: 2 anos em reforma 

Por Alexandre Galvão no dia 19 de Setembro de 2019 ⋅ 09:00 em Cidade

A Superintendência de Obras Públicas (Sucop) não respondeu, mas o Diário Oficial do Município denunciou: a empresa vencedora da licitação foi a Qualy Engenharia