Cidade

Em greve há um mês, professores de universidades estaduais realizam protesto

Dentre os motivos que levaram ao movimento estão a falta de infra-estrutura das instituições, o não cumprimento de direitos trabalhistas e a crise financeira, que tem levado até a atrasos em bolsas de auxílio à pesquisa. Além disso, faltam equipamentos nos laboratórios e materiais didáticos.

[Imagem not found]
Foto : Johana Pereira / Leitora Metro1

Por Milene Rios no dia 10 de Junho de 2015 ⋅ 11:41

Os professores das quatro universidades estaduais da Bahia, em greve há m30 dias, continuam com as atividades paralisadas. Eles se reuniram nesta quarta-feira (10) em Salvador e seguem em passeata pelas principais vias da cidade.

De acordo com informações da Associação dos Docentes das Universidades da Bahia (Aduneb), a principal pauta em questão é o aumento do orçamento, que levam à falta de infra-estrutura das instituições, o não cumprimento de direitos trabalhistas e a crise financeira, que tem levado até a atrasos em bolsas de auxílio à pesquisa. Além disso, faltam equipamentos nos laboratórios e materiais didáticos. 

As universidades atingidas pelas paralisações são a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade de Santa Cruz (UESC) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

 

Notícias relacionadas