Cidade

Lindbergh diz que é hora do PT mostrar vitalidade e responder ataques da direita

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) adotou um discurso intenso e enxergou no Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores uma oportunidade da sigla mostrar a sua "vitalidade". Durante o evento realizado nesta quinta-feira (11), em Salvador, o parlamentar afirmou também ser o momento propício para um debate profundo dentro do partido. "É um momento importante para o PT mostrar a sua vitalidade e responder os ataques da direita. Este é um congresso para a reflexão e para o debate político", disse ele. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Matheus Morais e Matheus Simoni no dia 11 de Junho de 2015 ⋅ 19:34

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) adotou um discurso intenso e enxergou no Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores uma oportunidade da sigla mostrar a sua "vitalidade". Durante o evento realizado nesta quinta-feira (11), em Salvador, o parlamentar afirmou também ser o momento propício para um debate profundo dentro do partido.

"É um momento importante para o PT mostrar a sua vitalidade e responder os ataques da direita. Este é um congresso para a reflexão e para o debate político. Estou defendendo muito a necessidade de reorientarmos a política econômica, de forma a preservar o crescimento e a geração de empregos. Este deve ser um congresso de debates, uma coisa é o governo e outra coisa é o partido", afirmou ele, em entrevista ao Metro1.

O senador carioca também ressaltou as diferenças existentes no governo. "O governo é de coalizão, onde temos a Kátia Abreu e o Patrus Ananias. Devemos assumir o nosso papel, que é o de um partido de esquerda nessa coalizão, que defende as suas posições. Não é necessário o governo concordar com tudo que o PT decide, assim como não é necessário que PT concorde com tudo que o governo fala", declarou.

 

Segundo o petista, o evento que reúne as principais lideranças do Partido dos Trabalhadores deve ser pautado nas discussões sobre a questão econômica vivida pelo país. "Agora, tem algo que eu acho que vai ser o foco do debate, que é o questionamento desse rumo da política econômica. Estamos caminhando para uma recessão. Não iremos resolver o problema fiscal desta forma, porque a arrecadação vai cair muito com essa desaceleração econômica. Se por um lado fazemos um aperto em cima dos trabalhadores, a cada reunião do Copom, aumenta-se a taxa de juros. O impacto fiscal é violentíssimo", disse.  

"Acho que esta será a tônica do congresso. Por mais que existam nuances diferentes entre as correntes, vai ficar claro, porque vão querer vender a ideia de que isso não existe. Mas todos vão discutir a política econômica", completou o senador.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Estamos lascados (lá nele!)]
Cidade

Estamos lascados (lá nele!)

Por Jolivaldo Freitas no dia 22 de Julho de 2018 ⋅ 12:45 em Cidade

Este ano começou em 16 de fevereiro de 2018 e vai até 4 de fevereiro de 2019, quando dará lugar ao Ano do Porco de 2019. Se atente. Leia o artigo

[Preço do aluguel tem redução em Salvador; confira ]
Cidade

Preço do aluguel tem redução em Salvador; confira

Por Gabriel Nascimento no dia 22 de Julho de 2018 ⋅ 11:00 em Cidade

Residenciais com dois quartos são os que mais registraram diminuição. Em relação a junho de 2017, o preço teve queda de 2,25% no mesmo mês deste ano