Cultura

\"Temos que ser mal educados para sermos respeitados\", diz antropólogo Roberto Damatta

O professor e antropólogo Roberto Damatta falou, em entrevista à Rádio Metrópole, na tarde desta terça-feira (5), sobre seu novo livro \"Fila e Democracia\", escrito em parceria com o mestre em Ciências Sociais Alberto Junqueira. [Leia mais...]

[\
Foto : Reprodução / Youtube

Por Matheus Morais no dia 05 de Setembro de 2017 ⋅ 12:43

O professor e antropólogo Roberto Damatta falou, em entrevista à Rádio Metrópole, na tarde desta terça-feira (5), sobre seu novo livro \"Fila e Democracia\", escrito em parceria com o mestre em Ciências Sociais Alberto Junqueira. A obra trata do comportamento do brasileiro nos momentos de desconforto e tensão proporcionados pelas filas.

\"As coisas mais banais que acontecem ao nosso redor precisam de uma fila. Você pode nascer numa camada pobre e terminar numa camada rica, você pode ser um político bem sucedido e acabar na cadeia, eu estou vendo isso pela primeira vez em minha vida, agora no Brasil. O principal problema social do brasileiro é aceitar o outro, que tem que ser tratado com o mesmo respeito. Se eu tivesse dinheiro, eu faria uma campanha com esse mote: trate o outro da maneira que você queria que você fosse tratado. No Brasil, temos uma relação entre esperar e igualdade social, a camada inferior no Brasil espera na fila. Você chega no banco, se você conhecer o gerente, ele lhe chama antes de todo mundo, isso não é normal. A mesma coisa com fila de idoso, ninguém mais respeita fila de idoso, a gente aprende que a boa educação manda não reclamar, mas na democracia temos que ser mal educados para sermos respeitados\", analisou.

Notícias relacionadas

[Regina Casé estreia ‘Recital da Onça’ em Salvador]
Cultura

Regina Casé estreia ‘Recital da Onça’ em Salvador

Por Metro1 no dia 21 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:45 em Cultura

Sob direção de Estevão Ciavatta e Hamilton Vaz, e texto da própria atriz e Hermano Vianna, a protagonista recebe convite da universidade de Harvard para inventar um “form...

[Marciano, cantor sertanejo, morre aos 67 anos]
Cultura

Marciano, cantor sertanejo, morre aos 67 anos

Por Clara Rellstab no dia 18 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:20 em Cultura

O cantor, que nos últimos anos usava o título de “O Inimitável”, iniciou a carreira na década de 1970 ao lado de João Mineiro