Cultura

'Eles não conseguirão matar a elegância', diz rabino Uri Lam sobre Moa do Katendê

O rabino classificou a morte do fundador do grupo Afoxé Badauê como "estúpida"

['Eles não conseguirão matar a elegância', diz rabino Uri Lam sobre Moa do Katendê]
Foto : Divulgação

Por Daniel Brito no dia 10 de Outubro de 2018 ⋅ 17:00

O ex-rabino da Sociedade Israelita da Bahia e comentarista da Rádio Metrópole, Uri Lam, homenageou hoje (10) o compositor, dançarino, capoeirista, ogã-percussionista, artesão e educador Mestre Moa do Katendê, assassinado no último domingo (7) após uma discussão política.

O rabino classificou a morte do fundador do grupo Afoxé Badauê como "estúpida" e, mesmo sendo integrante de uma outra comunidade religiosa, considerou fundamental falar sobre o ocorrido.

"Mas vocês podem estar se perguntando: 'O que faz um rabino falando de Badauê?'. O que move o rabino é uma palavra com quatro sílabas: empatia", disse ele, que, atualmente, integra a Congregação Israelita Mineira.

"Descanse em paz, Mestre Moa. Eles irão tentar, mas não conseguirão matar a elegância, nem a cultura, menos ainda a pele escura. A carne ficará mais dura, tornando ainda mais marcados os passos das moças e dos moços lindos do Badauê. Beleza pura", finalizou, em referência à canção "Beleza Pura", de Caetano Veloso.  

Ouça o comentário na íntegra:
 

 

Notícias relacionadas