Cultura

Tenda dos Milagres - 50 anos: seminário do IGHB celebra obra-prima de Jorge Amado

O evento, com entrada gratuita, tem as participações de Gildeci De Oliveira Leite, James Martins, Marinalva Lima e Milton Moura

[Tenda dos Milagres - 50 anos: seminário do IGHB celebra obra-prima de Jorge Amado]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 07 de Outubro de 2019 ⋅ 10:30

Jorge Amado, autor de inúmeros sucessos de público e crítica, livros traduzidos para vários idiomas e adaptados em diversas linguagens (da TV às artes plásticas), quando questionado sobre qual o seu trabalho preferido, respondeu: "Tenda dos Milagres". Assim como elegeu, o criador de Gabriela, Jubiabá e Dona Flor, Pedro Archanjo seu personagem predileto.

Nesta terça-feira (8), das 14h às 18h, o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia promove o seminário “Tenda dos Milagres e a Bahia, 50 anos depois”, que celebra as cinco décadas de publicação da obra. O evento, que tem entrada gratuita, promoverá duas mesas de discussão compostas pelos especialistas Gildeci De Oliveira Leite, James Martins, Marinalva Lima e Milton Moura.

Tenda dos Milagres, publicado em 1969, aborda, a partir do tema central, que é a defesa da mestiçagem brasileira, encarnada no mulato Pedro Archanjo, uma variada série de assuntos, entre os quais colonialismo cultural, luta de classes, militância política, alpinismo social etc. 

A obra foi adaptada para o cinema, pelo cineasta Nelson Pereira dos Santos, em 1977, e virou também minissérie da Rede Globo, para cuja trilha Caetano Veloso compôs "Milagres do Povo". Foi também traduzido para o alemão, árabe, búlgaro, espanhol, finlandês, francês, húngaro, inglês, italiano, russo e turco.

O  Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB) fica na Avenida Joana Angélica, 43, Nazaré.

Notícias relacionadas

['Rebanho' da mostra CowParade ocupa as ruas de Salvador]
Cultura

'Rebanho' da mostra CowParade ocupa as ruas de Salvador

Por Juliana Rodrigues no dia 09 de Outubro de 2019 ⋅ 14:48 em Cultura

Sessenta esculturas de vacas em tamanho real, feitas em fibra de vidro, ganharam cores e texturas e foram distribuídas por diversos pontos da cidade