Economia

Novo salário mínimo passa a valer R$ 880 a partir desta sexta-feira

Assinado na última terça-feira (29) pela presidente Dilma Rousseff, o decreto que fixa em R$ 880 o salário mínimo entra em vigor a partir dsta sexta-feira (1º) de janeiro. O valor novo possui um reajuste de 11,6%, já que hoje o salário mínimo é de R$ 788.[Leia mais...]

[Novo salário mínimo passa a valer R$ 880 a partir desta sexta-feira]
Foto : Agência Brasil

Por Bárbara Silveira no dia 01 de Janeiro de 2016 ⋅ 10:00

Assinado na última terça-feira (29) pela presidente Dilma Rousseff, o decreto que fixa em R$ 880 o salário mínimo entra em vigor a partir desta sexta-feira (1º) de janeiro. O valor novo possui um reajuste de 11,6%, já que hoje o salário mínimo é de R$ 788. Até novembro de 2015, o valor acumulado da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de 10,28% e de 10,97% no acumulado dos últimos 12 meses. A estimativa do mercado é de que o índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, feche este ano em 10,72%.

A proposta de orçamento aprovada pelo Congresso Nacional previa um salário de R$ 870,99. O valor foi modificado porque ele é atualizado com base nos parâmetros estabelecidos para sua correção - crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e inflação do ano anterior medida pelo INPC, índice que reflete a alta de preços para famílias com renda entre um e cinco salários mínimos.

 

Comentarios

Notícias relacionadas

[Atividade econômica cresce 0,46% em abril]
Economia

Atividade econômica cresce 0,46% em abril

Por Metro1 no dia 15 de Junho de 2018 ⋅ 12:40 em Economia

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos

[PIB do país pode patinar em 1,3%, diz jornal]
Economia

PIB do país pode patinar em 1,3%, diz jornal

Por Metro1 no dia 11 de Junho de 2018 ⋅ 13:40 em Economia

Segundo o Estadão, a tendência será confirmada caso a trajetória atual das contas do governo permanecer inalterada e nenhuma nova reforma fiscal for aprovada