Economia

Dólar sobe e bolsa da China cai em novo pregão

Em mais um dia marcado pela preocupação com a China e desvalorização do petróleo, o dólar comercial avança 1,37%, cotado a R$ 4,054 e a bolsa de valores de São Paulo (Bovespa) cai 2,74% - nesta sexta-feira (15), aos 38.416 pontos. [Leia mais...]

[Dólar sobe e bolsa da China cai em novo pregão ]
Foto : Reprodução / O Globo

Por Camila Tíssia no dia 15 de Janeiro de 2016 ⋅ 12:22

Em mais um dia marcado pela preocupação com a China e desvalorização do petróleo, o dólar comercial avança 1,37%, cotado a R$ 4,054 e a bolsa de valores de São Paulo (Bovespa) cai 2,74% - nesta sexta-feira (15), aos 38.416 pontos. As ações chinesas caíram novamente, com o índice de Xangai fechando em queda de 3,5%, no seu menor nível desde dezembro de 2014.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 3,2%. A confiança foi atingida por dados do crédito piores do que o esperado, e os investidores aproveitaram a recuperação de 2% da quinta-feira para reduzir a exposição a ações ainda mais, de acordo com a publicação de O Globo.

Os contratos futuros do barril de petróleo do tipo Brent caem 3,79%, a US$ 29,74, perto da mínimas em 12 anos, com o mercado se preparando para mais exportações do Irã, que deverá ter retiradas sanções internacionais possivelmente dentro de dias. Mais cedo, o Brent chegou a tocar US$ 29,43, menor nível desde fevereiro de 2004.

Notícias relacionadas

[Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe]
Economia

Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Economia

Em 2018, o Índice de Locação Residencial acumulou alta de 2,33% – abaixo da inflação do período, de 3,75%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado...

[Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018]
Economia

Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018

Por Juliana Rodrigues no dia 15 de Janeiro de 2019 ⋅ 22:00 em Economia

Cerca de 62,6 milhões de brasileiros fecharam o ano com alguma conta em atraso e restrições no CPF, segundo dados da CNDL e do SPC