Economia

Desemprego cresce 41% e Brasil perde 533 mil vagas no mercado de trabalho

Entre novembro de 2015 e novembro de 2014, o Brasil perdeu 533 mil postos de trabalho, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). [Leia mais...]

[Desemprego cresce 41% e Brasil perde 533 mil vagas no mercado de trabalho ]
Foto : Agência Brasil

Por Bárbara Silveira no dia 19 de Fevereiro de 2016 ⋅ 14:02

Entre novembro de 2015 e novembro de 2014, o Brasil perdeu 533 mil postos de trabalho, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o instituto, o número de trabalhadores ocupados passou de 92,706 milhões de pessoas em novembro de 2014 para 92,173 milhões de pessoas no mesmo período do ano seguinte. Ainda segundo o IBGE, a população desocupada cresceu em 2,68 milhões de pessoas, chegando a 9,13 milhões.
O setor que apresentou maior perda foi a indústria. Em novembro de 2015, eram 12,6 milhões de pessoas empregadas no setor, com 821 mil a menos do que em novembro do ano anterior, a indústria teve queda de 6,1%.

 

Notícias relacionadas

[Em retração, classes A e B ganham 464 mil negros]
Economia

Em retração, classes A e B ganham 464 mil negros

Por Clara Rellstab no dia 13 de Agosto de 2018 ⋅ 11:00 em Economia

Estudo afirma que movimento vai na direção oposta ao que ocorreu no Brasil no ano passado, quando 800 mil pessoas deixaram as classes mais altas

[Vendas do varejo caem 0,3% em junho, aponta IBGE]
Economia

Vendas do varejo caem 0,3% em junho, aponta IBGE

Por Clara Rellstab no dia 10 de Agosto de 2018 ⋅ 12:40 em Economia

Segundo divulgado hoje (10) pelo IBGE, a taxa de maio foi revisada para queda de 1,2%, devido à greve dos caminhoneiros

[Inflação oficial desacelera e fica em 0,33% em julho]
Economia

Inflação oficial desacelera e fica em 0,33% em julho

Por Clara Rellstab no dia 08 de Agosto de 2018 ⋅ 14:40 em Economia

O índice representa quase 1 ponto percentual abaixo da taxa registrada no mês anterior (1,26%) em meio à alta de preços provocada pela greve dos caminhoneiros.