Economia

Ministro da Fazenda diz que país só terá superávit a partir de 2019

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Brasil só conseguirá ter superávit a partir de 2019, caso seja aprovada a chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto dos Gastos.[Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Elza Fiúza/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 19 de Setembro de 2016 ⋅ 15:36

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Brasil só conseguirá ter superávit a partir de 2019, caso seja aprovada a chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto dos Gastos. O texto limita o crescimento dos gastos públicos e é vista pelo governo como uma prioridade para ajustar as contas públicas e retomar o crescimento da economia.

"Não há como transformar um déficit de R$ 170 bilhões em superávit em 1 ano ou dois, principalmente no meio de uma forte recessão", afirmou o ministro nesta segunda-feira (19), durante um evento na Fiesp, em São Paulo. Para 2016, o governo já enviou e conseguiu aprovar no Congresso uma meta de déficit fiscal de até R$ 170,5 bilhões que, se confirmado, será o pior resultado da série histórica, que tem início em 1997.

Para o próximo ano, a proposta de orçamento do governo prevê que que os seus gastos irão superar a arrecadação com impostos, sem contar os juros da dívida pública, em até R$ 139 bilhões. Meirelles demonstrou confiança na aprovação da proposta ainda neste ano no Congresso.

"É razoável de se esperar que seja aprovado esse ano", disse o ministro, destacando que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), trabalha com a expectativa de que a proposta estará aprovada na Câmara até o início de novembro, liberando o texto para votação no Senado.

Notícias relacionadas