Economia

Bahia registra queda de 6% na abertura de novas empresas

A abertura de novas empresas na Bahia caiu 6% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento da Junta Comercial da Bahia (Juceb), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE).

[Imagem not found]
Foto :Arisson Marinho/ Seplan

Por Juliana Almirante no dia 22 de Julho de 2015 ⋅ 11:47

A abertura de novas empresas na Bahia caiu 6% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento da Junta Comercial da Bahia (Juceb), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE). 

Foram 12.624 estabelecimentos abertos nos seis primeiros meses de 2015 no estado. Do total, 41,24% são da área de serviço, seguido pelo setor do comércio varejista (36,45%). A região econômica que mais concentrou novas empresas foi a metropolitana de Salvador, com 34,58%. Em seguida, aparece a litoral sul, com 8,77%, Paraguaçu, com 7,54%, e extremo sul, com 6,87%.

Conforme a Juceb, além da crise econômica do país, também contribuiu para a queda no número de abertura de empresas a realização da Copa do Mundo do ano passado. Em função das oportunidades do Mundial, foi alto o número de empreendimentos abertos para atender às demandas do evento.

Também no primeiro semestre deste ano, a Juceb registrou o cancelamento de 4.397 empresas, contra 3.839 no ano passado, o que corresponde a um aumento de 12,7%. O comércio varejista foi o setor com maior solicitação de fechamento (2.011). Outro setor afetado foi o de serviços, que requisitou a extinção de 1.731 empresas. Segundo a Juceb, o aumento no número de cancelamento é atribuído mais às facilidades previstas nas novas regras para o fechamento de empresas do que à crise econômica do país.

Notícias relacionadas

[Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe]
Economia

Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Economia

Em 2018, o Índice de Locação Residencial acumulou alta de 2,33% – abaixo da inflação do período, de 3,75%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado...

[Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018]
Economia

Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018

Por Juliana Rodrigues no dia 15 de Janeiro de 2019 ⋅ 22:00 em Economia

Cerca de 62,6 milhões de brasileiros fecharam o ano com alguma conta em atraso e restrições no CPF, segundo dados da CNDL e do SPC