Economia

Preço da gasolina e da energia elétrica vai ter mais uma alta em 2015

O Banco Central divulgou, nesta quinta-feira (6), a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) realizada nos dias 28 e 29 de julho. O documento mostra mais aumento na expectativa dos preços do botijão de gás, da gasolina, e da energia elétrica.[Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação

Por Bárbara Gomes no dia 06 de Agosto de 2015 ⋅ 14:20

O Banco Central divulgou, nesta quinta-feira (6), a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) realizada nos dias 28 e 29 de julho. O documento mostra mais aumento na expectativa dos preços do botijão de gás, da gasolina, e da energia elétrica. Com base no relatório, a conta de luz vai ficar 50,9% mais cara. Já a gasolina vai subir mais 9,2% e o preço do gás de bujão 4,6% mais caro. A previsão é que diminua apenas a tarifa de telefone fixo, com 3% a menos.

O comitê também apontou que os preços administrados por contratos do governo fiquem quase 15% mais caros neste ano. Para 2016 os preços devem subir 5,7%. O Copom afirma que o resultado sugere a permanência da inflação, refletindo nos valores de produtos de alimentação e bebidas.

Notícias relacionadas

[Guedes acena com tributação de juros sobre capital próprio]
Economia

Guedes acena com tributação de juros sobre capital próprio

Por Clara Rellstab no dia 23 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:28 em Economia

O ministro também foi contundente sobre a reforma da Previdência Social, e afirmou a investidores em Davos que ela será aprovada, com período transitório de capitalização

[Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe]
Economia

Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Economia

Em 2018, o Índice de Locação Residencial acumulou alta de 2,33% – abaixo da inflação do período, de 3,75%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado...

[Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018]
Economia

Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018

Por Juliana Rodrigues no dia 15 de Janeiro de 2019 ⋅ 22:00 em Economia

Cerca de 62,6 milhões de brasileiros fecharam o ano com alguma conta em atraso e restrições no CPF, segundo dados da CNDL e do SPC