Economia

Brasil tem a pior avaliação econômica dos últimos 24 anos, aponta FGV

De acordo com a Sondagem da América Latina, realizada por economistas, a situação financeira do Brasil é a pior dos últimos 24 anos. A análise foi divulgada, nesta quinta-feira (13), pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A pesquisa mostra que houve uma pequena melhora na situação da Colômbia, Equador, México e Peru. Sendo os dois últimos com situação mais favorável. Por outro lado, houve uma piora na situação da Argentina, Chile, Paraguai e Brasil. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Cidade Internet

Por Bárbara Gomes no dia 13 de Agosto de 2015 ⋅ 19:01

De acordo com a Sondagem da América Latina, realizada por economistas, a situação financeira do Brasil é a pior dos últimos 24 anos. A análise foi divulgada, nesta quinta-feira (13), pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A pesquisa mostra que houve uma pequena melhora na situação da Colômbia, Equador, México e Peru. Sendo os dois últimos com situação mais favorável. Por outro lado, houve uma piora na situação da Argentina, Chile, Paraguai e Brasil.

Numa zona desfavorável, o Brasil só fica atrás da Venezuela, sendo classificado pela coordenadora da sondagem, Lia Valls, num estado de "fundo do poço".  Os especialistas consideraram para este ano de 2015, uma taxa de inflação na ordem 8,8%, e com previsões futuras para 2020 de 5,3%, sendo que a meta é de 4,5%. "O país está longe de ter uma recuperação nos próximos meses. A situação atual é a pior que o Brasil já teve", disse a coordenadora. 

Notícias relacionadas

[Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe]
Economia

Novos aluguéis subiram abaixo da inflação em 2018, aponta Fipe

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 10:40 em Economia

Em 2018, o Índice de Locação Residencial acumulou alta de 2,33% – abaixo da inflação do período, de 3,75%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo, calculado...

[Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018]
Economia

Inadimplência no país cresce 4,41% em 2018

Por Juliana Rodrigues no dia 15 de Janeiro de 2019 ⋅ 22:00 em Economia

Cerca de 62,6 milhões de brasileiros fecharam o ano com alguma conta em atraso e restrições no CPF, segundo dados da CNDL e do SPC