Economia

Conselho da Petrobras aprova venda de 25% da BR Distribuidora

O Conselho da Petrobras aprovou a venda de pelo menos 25% da BR Distribuidora, unidade de distribuição de combustíveis da estatal, segundo a ata de uma reunião publicada na noite desta segunda-feira (17). Segundo o documento, a aprovação ocorreu com voto contrário do presidente do Conselho, Murilo Ferreira. A reunião aconteceu no último dia 6 de agosto. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Stephanie Suerdieck no dia 18 de Agosto de 2015 ⋅ 10:36

O Conselho da Petrobras aprovou a venda de pelo menos 25% da BR Distribuidora, unidade de distribuição de combustíveis da estatal, segundo a ata de uma reunião publicada na noite desta segunda-feira (17). Segundo o documento, a aprovação ocorreu com voto contrário do presidente do Conselho, Murilo Ferreira. A reunião aconteceu no último dia 6 de agosto e o plano para abertura de capital e venda de ações da BR Distribuidora foi aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras nesta ocasião. No encontro, no entanto, a estatal não informou qual fatia da empresa seria colocada à venda. No início de julho, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, já havia adiantado, que, a depender dos estudos, a companhia poderia abrir até 25% do capital. A BR Distribuidora foi avaliada, recentemente, em cerca de US$ 10 bilhões por analistas da UBS Securities.

Além do presidente do Conselho, o conselheiro que representa os funcionários da Petrobras, Deyvid Bacelar, também votou contra a abertura de capital. De acordo com a ata, Murilo Ferreira foi contra a venda alegando que, antes que qualquer venda possa ser formatada, decisões adicionais precisam ser tomadas, entre elas, a contratação de profissionais com experiência em vendas no varejo e a aprovação de um plano de negócios para a BR Distribuidora. Já Bacelar afirmou que as condições de mercado não são propícias para uma venda e que a BR Distribuidora pode dar retornos melhores à Petrobras se o Conselho melhorar a governança ou buscar parcerias em vez de abrir o capital da empresa.

 

Notícias relacionadas