Economia

Entrada de empresas no país cai pelo 7º ano consecutivo, diz IBGE

De 2015 para 2016, a taxa de entrada das empresas foi de 14,5%, o equivalente a 648,5 mil, enquanto a taxa de saída atingiu 711,9 mil empresas (16,1%)

[Entrada de empresas no país cai pelo 7º ano consecutivo, diz IBGE]
Foto : Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Alexandre Galvão no dia 03 de Outubro de 2018 ⋅ 12:40

A taxa de entrada de empresas tem caído no país há sete anos consecutivos e chegou em 2016 a uma retração de 14,5%, o menor valor da série histórica iniciada em 2008.

É o que revela a pesquisa Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo 2016, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, hoje (3), no Rio de Janeiro.

Os dados indicam que, pelo terceiro ano seguido, o saldo no total de empresas ficou negativo em 2016, com queda de 1,6%, o equivalente a menos 70,8 mil organizações.

Também o número de pessoal assalariado sofreu retração de 4,8%, o equivalente a 1,6 milhão de pessoas a menos. Foi a segunda queda seguida.

Dados do Cadastro Central de Empresas (Cempre) indicam que, em 2016, o Brasil tinha 4,5 milhões de empresas ativas que ocupavam 38,5 milhões de pessoas.

Deste total, 32 milhões, o equivalente a 83,1%, trabalhavam como assalariadas e 6,5 milhões (16,9%) como sócias ou proprietárias.

Apesar do número expressivo de empresas ativas no país, a relação da taxa de entrada e saída de empresas tem caído. De 2015 para 2016, a taxa de entrada das empresas foi de 14,5%, o equivalente a 648,5 mil, enquanto a taxa de saída atingiu 711,9 mil empresas (16,1%).

Notícias relacionadas

[Governo deve bloquear R$ 29,8 bilhões do Orçamento deste ano]
Economia

Governo deve bloquear R$ 29,8 bilhões do Orçamento deste ano

Por Juliana Almirante no dia 22 de Março de 2019 ⋅ 14:00 em Economia

Dados constam no primeiro Relatório Bimestral de Receitas e Despesas, por meio do qual o Ministério da Economia atualiza projeções para indicadores fiscais e macroeconômi...

[Boeing suspende entregas do 737 MAX]
Economia

Boeing suspende entregas do 737 MAX

Por Kamille Martinho no dia 15 de Março de 2019 ⋅ 17:20 em Economia

O porta-voz da companhia AFP também descartou a possibilidade de reduzir o ritmo de produção do modelo