Economia

Produção industrial cresce em 11 de 15 estados, diz IBGE

Bahia foi um dos quatro locais com resultado negativo na passagem de julho para agosto, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal

[Produção industrial cresce em 11 de 15 estados, diz IBGE]
Foto : Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 08 de Outubro de 2019 ⋅ 10:20

A produção industrial cresceu em 11 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na passagem de julho para agosto deste ano. De acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal Regional, divulgada hoje (8), os maiores avanços ocorreram no Amazonas (7,8%) e no Pará (6,8%). A Bahia e outros três estados tiveram queda.

Outros locais que registraram expansão foram São Paulo (2,6%), Ceará (2,4%), Pernambuco (2,1%), Rio de Janeiro (1,3%), Mato Grosso (1,1%), Minas Gerais (1%), Paraná (0,3%), Região Nordeste (0,2%) e Goiás (0,2%).

Além da Bahia (-0,1%), os resultados negativos foram registrados nos estados do Rio Grande do Sul (-3,4%), Santa Catarina (-1,4%) e Espírito Santo (-1,4%).

Ainda segundo o IBGE, em relação a agosto de 2018, oito das 15 localidades apresentaram queda, com destaque para o recuo de 16,2% do Espírito Santo, e sete tiveram alta: 13% no Pará e 12,8% no Amazonas.

No acumulado do ano, a produção industrial também teve resultados negativos na maioria dos locais pesquisados: nove locais tiveram queda, sendo a maior delas no Espírito Santo (-12,8%). Já no acumulado de 12 meses, dez locais apresentaram recuo, o mais acentuado no Espírito Santo (-7,2%).

Notícias relacionadas

[Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE]
Economia

Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Outubro de 2019 ⋅ 11:20 em Economia

Índice representa o quinto resultado negativo registrado em 2019 e foi puxado pela queda nas atividades ligadas aos transportes

[Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia]
Economia

Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia

Por Juliana Almirante no dia 10 de Outubro de 2019 ⋅ 12:40 em Economia

Resultado foi alcançado na série livre de influências sazonais, depois do crescimento de 2,4% que havia sido registrado na passagem entre junho para julho