Editorial

MK critica pedido de Luislinda Valois para ganhar R$ 61 mil: "Piada pronta"

O pedido da ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, para ganhar R$ 61 mil — acumulando o seu atual salário com a aposentadoria de desembargadora — foi tema do comentário de Mário Kertész, na Rádio Metrópole, no início da manhã desta sexta-feira (3). Em sua reivindicação, a baiana chegou a citar o trabalho escravo e depois da repercussão negativa voltou atrás. [Leia mais...]

[MK critica pedido de Luislinda Valois para ganhar R$ 61 mil:
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento no dia 03 de Novembro de 2017 ⋅ 07:39

O pedido da ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, para ganhar R$ 61 mil — acumulando o seu atual salário com a aposentadoria de desembargadora — foi tema do comentário de Mário Kertész, na Rádio Metrópole, no início da manhã desta sexta-feira (3). Em sua reivindicação, a baiana chegou a citar o trabalho escravo e depois da repercussão negativa voltou atrás.

"Em um país que vive com 13 milhões de desempregados você ganhar R$ 30 mil, plano de saúde e outras vantagens é para dar graças a Deus todos os dias, certo? No caso dela, errado! Esse governo Temer (PMDB), pau que nasce torto até a cinza é torta", criticou, afirmando ter sentido vergonha do pedido.

De acordo com MK, o Planalto deveria ter sido rigoroso. "Ou ela não está no juízo perfeito e tem que ser demitida ou ela é assim mesmo e tem que ser demitida mesmo. Em meio a tantas falcatruas, tantas malas, a gente se surpreende ao ver uma desembargadora aposentada, ministra dos Direitos Humanos dizer que não ganhar R$ 61 mil corresponde a escravidão. Pare o mundo que eu quero descer. Adianta alguma indignação? Nada. Sempre tem um atenuante", acrescentou.

Ouça na íntegra:

Notícias relacionadas