Esportes

Vitória: após acusação de José Rocha, Cristóvão Rios rebate: "Equívoco"

O presidente do Conselho Deliberativo do Vitória José Rocha, acusou o presidente do Conselho Fiscal Cristóvão Rios de ser “subordinado” ao presidente do Conselho Diretor, Raimundo Viana e por consequência disso ele não poderia fiscalizar o clube. “Houve um grande equívoco por parte de José Rocha. E caso encontre indícios de crime nas suas falas, irei processá-lo. É preciso que haja respeito”, disse

[Vitória: após acusação de José Rocha, Cristóvão Rios rebate:
Foto : Reprodução / Bocão News - Edson

Por Pedro Sento Sé no dia 29 de Dezembro de 2015 ⋅ 12:08

Durante a resenha Bola em Jogo da Equipe Os Campeões da Bola o presidente do Conselho Deliberativo do Vitória José Rocha, acusou o presidente do Conselho Fiscal Cristóvão Rios de ser “subordinado” ao presidente do Conselho Diretor, Raimundo Viana e por consequência disso ele não poderia fiscalizar o clube. A acusação de José Rocha foi devido a uma declaração do próprio Rios que se disse “liderado” por Viana.

“Houve um grande equívoco por parte de José Rocha. Quando eu disse ‘de ser liderado’ era no sentido de torcedor e conselheiro do clube, pelos títulos alcançados com a base neste ano e com o acesso à Série A. Neste sentido, pelas glórias alcançadas por Raimundo Viana, nós todos fomos liderados por ele”, explicou.

Cristóvão também explicou que durante a reunião da assembleia do Conselho Deliberativo, ele não se sentou a mesa de propósito. “Fiz questão de ficar na plateia como conselheiro e falar como conselheiro e torcedor”, continuou.

O presidente do conselho fiscal ainda disse que antes do orçamento para 2016 ser apresentado aos conselheiros, o órgão fiscalizador do clube pediu vistas do projeto para que ele fosse aprovado antes da apresentação.

“Lamento também esse posicionamento da comissão estatutária, escolhida por José Rocha, que quer transformar, nesta reforma proposta por ele, o Conselho Fiscal em uma segunda classe, não permitindo reeleições nem transformar em conselheiro nato os ex-presidentes do conselho”, disse. Cristóvão Rios também afirmou que o regimento interno para adequação do Vitória junto ao Profut já foi redigido e que em fevereiro o clube vai assinar o documento para se adequar a nova lei.

Questionado sobre a possibilidade de renunciar o cargo, Cristóvão Rios foi taxativo: “nenhuma. O conselho se revoltaria se eu pedisse”. E emendou: “Quando estiver em posse das declarações de José Rocha, caso encontre indícios de crime nas suas falas, irei processá-lo. É preciso que haja respeito”, finalizou. 

Notícias relacionadas

[Gilson Kleina nega contato com o Vitória]
Esportes

Gilson Kleina nega contato com o Vitória

Por Matheus Simoni no dia 13 de Agosto de 2018 ⋅ 20:52 em Esportes

Em contato rápido com o Metro1, ele afirmou que não chegou a ser procurado por ninguém da diretoria